13 de fev de 2009

PARTE 8 - DE VOLTA AOS PREPARATIVOS PARA O MOCHILÃO PELA FRANÇA!!!!!! ONDE DORMIR?

Desculpem a demora, mas estava num tour São Paulo-Louveira-São Paulo que não me permitia a concentração para escrever no blog.

Após termos escolhido nosso passe de trem, poderemos pegar a lista de albergues das cidades onde temos mais segurança de que vamos visitar. Uma coisa muito boa referente a isto é que chegando nas cidades podemos seguir imediatamente para o CENTRO DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS e obter todas as informações sobre albergues, eventos na cidade, locais para visitar, bilhetes de desconto ou para atrações, mapa da cidade (ás vezes grátis), etc. É comum se falar inglês nos CIT, mas saiba que este pessoal está preparado para gesticular até cair os braços. Portanto, não se preocupe com sua péssima pronúncia. Você vai sobreviver.

Aos não adeptos do couch surfing: se você é um mochileiro daqueles da economia mesmo, vai procurar um albergue onde dormirá num quarto coletivíssimo, com ambos os sexos, daqueles com 8 camas ou mais. Quanto mais gente no quarto, mais barato fica. Daí é que surgem os equipamentos do mochileiro:

- lanterninha de cabeça (LED), para você não incomodar o povo com a luz acesa, seja para ler, para se arrumar, ou pegar algo na mochila
- tapa olho
- tampão de ouvido
- saco de dormir (alguns lugares não permitem o uso já que na maioria dos albergues a roupa de cama é fornecida gratuitamente)

Com isso, sua noite será uma bênção. Se bem que eu, poucas vezes tive problema com barulho no quarto ou com gente de luz acesa. A maioria dos viajantes tem noção das coisas.

Os albergues são lugares maravilhosos para você conviver com pessoas do mundo todo, nem que seja somente para tomar o café ao lado deles, ler um livro perto deles e dormir do lado, em cima deles... ou embaixo.

No albergue você encontrará seus pares, gente que está viajando como você e te compreende. Pessoas que conversarão com você com muita satisfação. Principalmente se estiverem sós. Estude bastante a língua inglesa e a língua do lugar para onde você vai. Pequenas palavras produzem grandes discursos perfeitamente...divertidos! No albergue você confraterniza, mesmo sem dizer uma palavra. As refeiçoes são coletivas: todos amontoados preparando seus almoços, cafés numa cozinha pequena, mexendo numa geladeira cheia de produtos etiquetados com o nome do proprietário e datados para não serem esquecidos eternamente.

Os albergues regularmente são compostos de:
- recepção
- quartos coletivos, podendo ter mistura de sexo
- roupas de cama
- oferecem tours
- possuem várias informações turísticas da região
- sala de tv
- cozinha equipada
- sala tipo refeitório com mesas grandes
- máquina de lavar e de secar. Pode ser cobrada
- antigamente os hóspedes tinham "afazeres". Tinham que ir á recepção solicitar um trabalho para ajudar na limpeza do albergue. Por isso fica mais barato. Nunca mais vi isso acontecer. Tem gente que mal lava sua louça
- armários para guardar mochila nos quartos
- banheiros coletivos (alguns com banheiros individuais)
- estantes com livros diversos, normalmente deixados por viajantes
- serviço de internet (um ou dois computadores com internet pra lá de lenta), pode ou não ser gratuito
- máquinas de venda de comida e bebida
- muitas vezes tem o café incluso na diária.

As comidas colocadas na geladeira devem ser etiquetadas para identificar seu proprietário e a data em que foi colocada lá. Para que haja revista todos os dias e, caso alguém tenha esquecido comida, possa-se fazer algo com ela, tipo deixar á disposição para o povo junto as COMIDAS GRÁTIS - FREE FOOD, ou jogar fora.

Nesse agito de gente chegando e saindo você pegará e-mails de futuros "couchs" para ficar, em diversos países, fará grandes amizades, trocará informações e terá a possibilidade de receber alguém muito especial em sua casa qualquer dia.

Continuo amanhã.
Tô na fadiga.

Suerte!!!

V for Verônica

Nenhum comentário:

Postar um comentário