23 de nov de 2013

O viajante iluminado e as sombras de Sócrates.

ADQUIRA MEU LIVRO SOBRE MOCHILÃO - MEU PÉ QUE ME LEVA PELO MUNDO -  QUE ESTÁ QUASE ESGOTADO (!!!!) CLICANDO AQUI
Lá estou eu lendo O MUNDO DE SOFIA, que meu amigo Kleiton emprestou depois de um noite de tagarelices filosóficas junto ao meu filósofo preferido, MAMORRRR, quando me dou conta de que adoro filosofar. e, melhor ainda, sou tão filosófica que "sei que nada sei"! hahahaha

Kleiton é meu (único) aluno de inglês, o qual doutrino na arte da VIAGEM INDEPENDENTE.
O rapaz é mais uma prova da força que uma viagem independente traz para o espírito e da nova visão de mundo que ela nos proporciona. "Nova visão de mundo". É daí que venho falar do chato do Sócrates.

Coitado do cara, na verdade dizem que ele era chato, mas não conheço ele tanto assim pra considerá-lo uma mosca barulhenta. Apesar, apesaaaar de que uma pessoa que fica te perguntando, te questionando, te cutucando como uma criança de 5 anos deve ser muito chata. E era isso que Sócrates fazia. Ele questionava pessoas ao esgotamento só pra entender como cada um pensava e para questionar verdades absolutas e razões que acabavam se tornando infundadas. Tanto ele fazia que colocava seus questionados em contrariedade. Tudo para mostrar que sempre deve-se questionar a vida e descobrir a questão certa a se fazer e mostrar que mais sábio era aquele que sabia que não sabia nada.
Aquele que busca o conhecimento tem a vantagem de enxergar mais que os outros. os que enxergam mais DEVEM por questão de humanidade tentar fazer outros enxergarem. O conhecimento deve ser partilhado.
A famosas história das sombras na caverna, contada ao irmão de Platão, Glaucon  por Sócrates, mentor dos dois, fala bem disso.

Todos nós em nossas cavernas profundas, acorrentados psicologicamente, observando a vida das sombras que se refletem na parede por causa da fogueira, único conforto do local além da segurança de NADA ACONTECER.

De repente, um de nós está livre de correntes, atravessa a fogueira, se põe do lado de fora e, quando retorna pra contar o que viu, não consegue enxergar direito, pois a claridade da luz do sol ofuscou sua vista no retorno ao escuro. Ficou quase cego e sendo gozado pelos demais.
Vamos falar sobre este cara que foi pra fora e não conseguiu mais enxergar como os outros caras da caverna?

"A pessoa que está agora reorganizando e polindo estas mesmas notas, eu, não sou mais eu, pelo menos não sou o mesmo que era antes. Esse vagar sem rumo pelos caminhos de nossa Maiúscula América me transformou mais do que me dei conta. "
Foto: Alberto Granado e Ernesto Guevara (Che)

Vamos falar sobre este cara que foi pra fora e não conseguiu mais enxergar como os outros caras da caverna? Não especificamente de Che Guevara, mas do indivíduo que deixa o conforto de seu lar, do sofá de sua casa, das imagens da televisão pra dar uma caminhada pelo bairro, um passeio pela cidade, uma volta pela praia, uma conversa de parada de ônibus, que via atrás de uma novidade e faz o tempo passar mais devagar enquanto aprende. 

Todos querem apenas as coisas boas, mas como saber o que é bom se não experimentamos? Por que achar que o que você está desfrutando é a plenitude quando se sabe que há mais do que sombras no mundo?

O homem tem por hábito deixar que as coisas venham até ele. Nosso governo nos (des)educa assim. É desta forma que achamos que só o que trazem para nós é o que vale. Não buscamos respostas, justiça, não olhamos a necessidade do outro, do mundo. Esperamos pela nossa recompensa pela obediência de esperar que nos deem o que nos é devido. Este ano de 2013 mostrou, GRAÇAS AO UNIVERSO, que há muitos reagentes a esta forma de pensar. Infelizmente, há também infiltrações, vírus para dizimar estas pessoas, para evitar que se proliferem mais rápido do que o vírus do EGOÍSMO, da COMODIDADE. 

Pare de viver de sombras; enxergue o que dá forma a elas. Saía de sua caverna. Ajude o universo a conspirar pelo melhor. Enxergue mais. Deixe-se levar pelos ensinamento do mundo. Seja grande. Aprenda a compreender, respeitar, saber como questionar, usar sabiamente seus recursos mentais e materiais. Aprenda a ESCUTAR para aprender mais.
A VIDA É CURTA DEMAIS PRA CULTIVAR HEMORROIDAS. HAHHAH

Todo homem é capaz de tudo bastando que ele acredite e se dê a chance de obter ferramentas para realizar grandes coisas. Estou falando mais de ações filosóficas, integração com o mundo do que de matéria, construções, invenções. Tudo isso é bom, mas irá muito melhor com uma mente sã, questionadora, permissiva ao conhecimento e respeitadora das diferenças. Chata como Sócrates.

Pergunte, seja curioso, seja respeitoso, entenda que hoje você poderá, sim, ser inquirido pelo seu jeito de ser, mas nada que possa ser comparado ao horrendo clero de outros tempos.

O mundo responde muitas coisas para nós e é por isso que incentivo tanto que as pessoas viagem de forma independente. A realização da viagem já é uma resposta pra tantas questões de "consigo? não consigo?" que nos fazemos. Fazê-lo sozinho é vitória dupla. Foi VOCÊ MESMO quem se esclareceu, se ajudou, se ensinou.

Viajar de forma independente, mais do que "a passeio" ou em excursão, é mais do que enxergar o que faz as sombras; é ver a luz que deu a forma.

A luz que nos cegou totalmente de nossa vida anterior.
Já somos diferentes desde a primeira jornada independente e nunca mais seremos o que um dia fomos.

Um HD que não tem mais espaço para tanta informação, tantas cores, cheiros, pessoas, formas, toques, sentimentos novos, experiências.


E, aí?
Deu vontade de mochilar?
Em mim deu  DE NOVO!

V for Verônica