30 de out de 2009

Kari Shadu mochilando sozinha por Machu Picchu

Sabe o questionário que o ANDRÉ respondeu? Poi é este mesmo que está sendo mais uma vez respondido aqui. A diferença é que o meu amigo foi com amigos e a Kari Shadu foi SOZINHA.

Sem muito rolo, vamos ao questionário:

TODAS AS FOTOS SÃO DE PROPRIEDADE DE KARI SHADU

Você trabalha?
( x )sim
( )não

- Caso não trabalhe, recebe mesada?
( )sim ( )não <:-(
- Seu salário/mesada são para pagar :
( )contas da casa – contas de consumo, mercado, condomínio, aluguel...
( )estudo
( )meu lazer
(x)todos acima

Quando você quer algo você:
(x)busca apoio de amigos para ter certeza do que deseja
(x) vai atrás do que quer imediatamente, mesmo sem apoio de alguém
(x) busca os meios para conseguir o que realmente quer sem apoio de alguém
( )pensa muito antes de fazer qq coisa q deseje muito
(x) sacrifica coisas em prol de outras mais importantes no seu parecer

Sobre viajar:
( ) sempre fiz viagens independentes
( ) de uns tempos para cá comecei a experimentar viajar sozinho
( )nunca tinha feito uma viagem independente
( ) Sempre fiz viagens independentes com grupos de amigos
( ) sempre viajei de excursão e esta foi minha primeira viagem independente
(x) sempre viajei independente e esta foi minha primeira viagem sozinho(a)
( )sempre viajei de excursão e esta foi minha primeira viagem independente em grupo

Sobre opção de viajar de modo independente:
( ) por falta de dinheiro arrisquei viajar por conta própria
( ) pela experiência que dizem ser bem diferente arrisquei viajar por conta própria
( ) porque ia um grupo de amigos, arrisquei viajar com eles por conta própria

Em que ano vc foi à Machu Picchu?
( ) entre 90 e 2000 ( x )entre 2000 e 2009

Qual mês?
maio/junho


Como estava a movimentação turística por lá quanto a:
Quantidade de turistas:
( )vazio
( )bombando
(x)bem movimentado
Nacionalidade dos turistas: principamente europeus

Quanto ao estilo de viajante havia mais:
(x)mochileiros
(x)turistas com agência
( )grupos de colegas viajantes

Quanto a idade:
( )Mais jovens em idade universitária
( )cinqüentões para cima
(x) todas as idades (havia até uma alemã com seu bebê!!)

E como era a recepção por parte dos peruanos?
( x )boa. Eram gentis e atenciosos
( )ruim. Eram grossos, tinham aspecto horrível
( ) com interesse financeiro
( ) não prestei atenção

Como descobriram Machu Picchu? Melhor vcs descreverem.
Coisa de adolescência que só agora pude realizar. O grande lance não é exatamente Machu Picchu, mas a viagem...toda ela

Por que mochilão para Machu Picchu?
minha prioridade tem sido a america latina, first.

Agora a coisa fica mais complexa:
Descrevam o roteiro e, pelo menos, o número de dias que ficaram em Machu.
Em machu picchu só um dia. fiquei 03 dias em Ollantaytambo.

Pesquisa de roteiro. Você:

( )não fez o roteiro. Foi com amigos que vc apenas acompanhou
(x)pesquisou na internet, com viajantes
(x)comprou guia do Peru e organizou
( ) seguiu um roteiro de um “cara” que tinha ido

Porque fizeram(ou não) uma das trilhas até a cidade: Trilha Inca, Salcantay, ou a outra que não lembro mais o nome?

Do roteiro que fizeram, dos caminhos que seguiram nesta viagem, o melhor foi:
( x )Machu Picchu, sem dúvida
( )_________________, sem dúvida
( x ) esperava mais de Machu. Acabei me agrandando de Ollantaytambo
( x ) as pessoas que conheci
( x ) toda a natureza
( x ) a trilha e toda a experiência do caminho. Mesmo a dor de cabeça
( x ) ter conseguido fazer o que planejei
( x ) as comidas
( x ) ter aprendido a viajar sozinho, organizando as coisas
( x )ter conhecido outra cultura
( x ) as comidas
( x ) tudo. Adorei tudo mesmo
.

Fale um pouco sobre as semanas que antecederam sua viagem e que sucederam seu retorno ao lar. Refiro-me a lembranças, vontade de viajar no dia seguinte, fadiga, pensamentos, planos para o futuro, língua, curiosidades dos outros, lembranças tanto espirituais como materiais. O mais de tudo:
Em quantidade de dias apenas em MACHU/CUZCO e coisas que fizeram, o que me dizem referente a custo. Passem um valor aproximado/dia, ok?

Bolívia é muito barato porque um real vale três bolivianos, mas Peru estava quase que pareado. Paguei 100 bolivianos por um hostal em La paz (com baño privado) e 40 soles por um no Peru ( com baño privado) próximo á Plaza das Armas
Transporte para chegar a Cuzco e Machu - qual tipo e valor aproximado
Fui de ônibus de cuzco até Urubamba, depois de van até Ollanta e de trem até águas calientes.
Alimentação/dia: bolívia 15 bolivianos um menu completo, no peru 15 a 20 soles.
Guias: comprei um guia muito ruim (guia do viajante independente blablabla)...melhor foram as dicas q imprmi da internet
Equipamentos extra: levei tudo o q necessitava. A saber: camera com memory card, óculos, boné, protetor solar (pele e lábios), cachecol...comprei um casaco na bolívia porque é muito barato! É legal levar papel higiênico. os de lá parecem papel de pão!
Ingressos: depois mando, tenho q procurar nos guardados...

Onde acertaram tudo isto:
( )ainda no Brasil pela net
( ) ainda no Brasil, com agência
( ) na hora pq era o mês_____e lá é baixa temporada
(x) na hora pq sou aventureiro. Hihi
( ) na hora pq tem bastante passagem e guias
( ) um amigo resolveu tudo e só paguei
( ) tenho conhecido por lá e foi, praticamente tudo de graça.

Suas impressões sobre a viagem: cultura, natureza, economia, atendimento ao viajante, preservação, história.... sem resposta
..
Então, eis mais um questionário para ajudar vocês, desejosos de se aventurarem por aí, por nossa MAIÚSCULA América Latina, como disse Ernesto(o Guevara).
..
Kari, obrigada pelas respostas e por ter sido macho de ir viajar sozinha. Gente, ela passou mal um dia e disse que, estando sozinha, foi bem difícil. Espero que as alegrias tenham superado este pequeno contra tempo, meu beeeem. Desculpe pela demora em colocar seu questionário aqui.
Tudo de bom para vocês e viram como tô animada, escrevendo todo dia?! Aproveitem que é ataque de escrever!!!!
..
Abraço!
..
..
V for Verônica

28 de out de 2009

Quarentão viajandão de MOCHILÃO

Ah, tenho que falar sobre isso porque o digníssimo tem mais de 40.

Meu, conforme você vai ficando mais "experiente" - ah! Mais velho mesmo! - Suas prioridades e seu pique vão se modificando. Lembro do meu pai, há poucos anos, falando de como ele se sentia como um jovem de 27 anos por dentro, no espírito, mas por fora, o corpo pedia descanso. Ele tinha 72 anos quando disse isso. Ele é vivo, viu gente! Semana passada estava o casal lindo, lá na Bahia. Esses viajam mais de 4 vezes no ano para outro Estado. Estão vivendo bem, graças a Deus. Ficam na casa dos nossos parentes que estão semeados pelo Brasil.

Voltando ao assunto, estávamos com a Wen em casa. Ah, Wen é uma Taiwanesa "acima de 40" que Eber e eu conhecemos na Itália em 2006 e que está fazendo um sabático de 1 ano. Já se passaram 4 meses. Ela ficou hospedada lá em casa por 10 dias. A viagem de Wen consiste em visitar as Américas, conhecer a maioria dos países da Am. Latina, que ela não conhecia, e seguir lá de baixo para, possivelmente, mais uma vez a Austrália, que ela já conhece e, claro, mais um monte de lugares que eu não lembro.
Wen levantava tarde, procurava ver o que realmente havia de interessante para conhecer e seguia à risca as dicas do seu Lonely Planet. A criatura tinha que ir a um jogo de futebol no Maracanã. E foi. Perguntou para mim:
- Verônica, você realmente acha que eu vou me interessar pelo bairro da Liberdade? - Tive que ser sincera:
- Minha filha, gente que já viu muita coisa no mundo não vai se entusiasmar com um bairro japonês fora do Japão. Esquece.

Por favor, meus amigos, não se ofendam. É a pura verdade. Depois que você vê coisas excepcionais no mundo, tem coisas que não vão te impressionar mais. É melhor escolher bem. No caso de fazer uma viagem longa, vale visitar um lugar comom para poder ter tempo de relaxar, colocar coisas em ordem, parte burocrática, caso precise de visto para o destino a seguir(como foi o caso de Wen). Fazendo viagem curta, também é óbvio que devemos procurar coisas diferentes das que estamos habituados ou conhecemos.

Claro que fomos num pagodão, andei pela cidade com ela, entramos num shopping, tomamos cafés gostosos que ela a-d-o-r-o-u (é viciada em café), minha mãe fez feijoada para ela...bem, o que ela mais fez foi comer coisa diferentes e gostosas lá em casa. Ganhei duas garrafas cheias de Pisco de presente que ela trouxe do Peru para Eber e para mim. Como Eber só bebe suquinho....

Já falei para vocês que Wen está mochilando sozinha? Bem, então está dito.

Pois é assim. Um ritmo mais calmo, lugares mais específicos, momentos maiores de contemplação. ISTO NÃO VALE PARA A JUVENTUDE QUE SABE LÁ QUANDO VAI CONSEGUIR FAZER OUTRO MOCHILÃO, HEIN! É jovem, tem mais é que fazer maratona por diversos países.

O mochileiro mais velho vai usar a mesma equipagem do mais novo. Provavelmente com algum remédio para pressão (hahahah), um par de óculos extra, mas como mesmo pique, humor e espírito aventureiro.

Quando se está mais velho, numa viagem como esta, fica-se mais confiante e exigente, mais desinibido, mais desejoso de fazer coisas. É como um desafio ao nosso ânimo. Um último suspiro da juventude que descobrimos não ter acabado. Talvez estivesse apenas adormecida, esquecida em cima do gigante estômago de cerveja, dos jogos na TV, do trabalho que consome o dia, do cansaço que ele nos traz de noite. Tem família que envelhece só de virar família. De achar "que é assim mesmo". "Agora somos sérios, temos filhos e responsabilidades. Não temos mais idade para essas coisas de jovem." Meu, o dia que eu disser isso podem ver se eu não tomei detergente porque só estando com uma depressão muito feroz, ou sem perspectiva na vida pra EU pensar assim.

A gente faz piada dizendo que fulando tá velho e acabado, mas, como a Dona Maura, minha querida ex-chefe diz "eu tiro o pé e você põe". Enquanto a nanotecnologia está nanoengatinhando, a gente vai envelhecendo e morrendo em menos de 100 anos, meu queridos. Então, vamos tratar de enxergar a juventude nesses corpos barrigudos e nessas cabeças focadas nos campeonatos e receitas da Palmirinha e buscar o novo, mexer com o conhecimento, o cérebro. Vão estudar, fazer uma faculdade (pode ser construir uma também), procurar um trabalho e, por que não, MOCHILAR, se muitas vezes é isso que falta para sua vida ter/ser mais uma grande aventura?

Vão lá ler mais posts que informam como fazer isso e conversem comigo que eu sou toda jovem, mas eu ajudo.

After all, tomorrow is another day! E o blog chama

VIAJE QUE TE AJUDA!!!

Abraços cuidadosos aos senhores!


V for Verônica

25 de out de 2009

SIM: NÓS DAMOS PALESTRAS!!!

PARA ADQUIRIR MEU LIVRO SOBRE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
_____________________________________

Bons dias, meus bens!

Semana passada, dia 19/10, proferi mais uma palestra sobre MOCHILÃO. É que eu devia divulgar mais que estou À DISPOSIÇÃO PARA PALESTRAR SOBRE MOCHILÃO ONDE VOCÊS PRECISAREM. Tenho apenas uma solicitação além de pedir pra vocês bancarem a ida e volta: QUE EU POSSA OFERECER MEU LIVRO. Já fiquem sabendo que não tenho mais nota para eles. Já fechei a editora e estes livros que tenho são tipo venda no setor"informal". Ráááááí!

A palestra aconteceu no campus onde há o curso de Turismo da UFSCAR, em Sorocaba, e foi patrocinada pela CI,
Central de Intercâmbio, que é uma empresa mais voltada para intercâmbio, mas também trabalha com pacotes de viagem, pacotes mochileiros, au pair e emprego para estudantes fora do país.

A Larissa, estudante do 2º ano de Turismo foi quem entrou em contato comigo. Uma querida!
Felipe me recebeu na Rodó e fomos para a palestra. Havia umas 40 pessoas na sala e a maioria NÃO ERA DO TURISMO!!!! Eram interessados em fazer MOCHILÃO. Falei por mais ou menos 1h30(queria falar mais) e passei Power Point, craro!

A palestra é bem enxuta, falando sobre o que é o mochilão, a importância de experimentar este estilo de viagem, o que é necessário para a viagem, tanto material como burocrático, cálculo médio de gastos/dia, opção de ir só ou acompanhado - benefícios e problemas, áreas de estudo que uma viagem neste estilo envolve, como escolher quando ir e como decidir onde ir, onde dormir, comer, onde pesquisar, comprar passagens, as mudanças no retorno, exemplo de mochilão com custos.

Um dos slides da palestra falando sobre valores de um mochilão para a Patagônia
Após terminar a palestra fizeram perguntas sobre custos para ir para Ásia, Escandinávia, quando foi meu primeiro MOCHILÃO, quantos já tinha feito para fora do país. Uma aluna que já havia feito um ano de intercâmbio falou sobre o vazio de voltar à rotina....foi bem interessante.

Terminada a palestra o povo que ficou foi pra o "camarim" bater um xepinha. Daí, lembrei que havia esquecido de oferecer o livro.....CERTAMENTE que para mim isso era muito importante, mas sabe, eu tenho pena de vender os bichinhos.....EU SOU UMA CABEÇUDA!!! Fico tão entusiasmada que esqueço do principal para mim. Queria ter um treco! Ah, esqueci de fotografar também. A não ser por umas fotos dos remanescentes que ficaram pra Xêpa, junto com o Cactus, símbolo do pessoal do Centro Acadêmico. Foi tudo muito bem organizado, simples, rápido, no horário. Se já começaram deste jeito acredito que serão bons profissionais da área. Ainda ganhei uma bela begônia e agradeço aqui novamente.
Voltei pra casa toda agitada. Como gosto de incitar o povo a viajar. Falar com gente dá área, então, fazer-me espécime para estudo, fazer com que os turismólogos enxerguem em nós, viajantes econômicos, um mercado a ser "explorado" (no bom sentido) e melhor auxiliado é tudo para que mais pessoas ousem se aventurar por aí, sentido-se mais seguras, pelo menos de início, para, quem sabe, fazer jornadas mais longas, mais independentes, mais LIVRES.

Quando falo sobre o MOCHILÃO procuro pregar os olhos nos olhos dos meus espectadores para que eles realmente vejam que estou falando sobre uma coisa muito boa, um ato que faz bem para o ser. O MOCHILÃO É AUTO-AJUDA. Fazer o quê? Já comentei em outro post que ninguém está fugindo de problemas viajando. Problema a gente resolve na hora. Você, de preferência, deve estar bem para viajar, para aproveitar, para pensar no momento que está vivendo e esquecer seus problemas, se é que tem algum.

Mochilar é um ato (verbo mochilar) que nos remete ao passado nômade, ao primitivo, a essência humana de comer, dormir, ir ao "loo" e tentar se comunicar para aprender, para se relacionar, para sobreviver. No nosso caso vira VIVER no mais profundo sentido da palavra.

Ah, disse que NÓS DAMOS PALESTRA porque tenho certeza que EBER, do MOCHILÃO SEM FRONTEIRAS, sempre que possível, também estará à disposição para falar sobre MOCHILÃO e contar suas experiências. Só pra avisar, quem quiser conhecê-lo, ele tá lá na CI da Faria Lima!!!!

Gente, obrigada por mais essa oportunidade e é só marcar, certo?


Tudo de bom sempre para vocês!


V for Verônica

9 de out de 2009

Mulheres mochilando sozinhas por aí

PARA ADQUIRIR MEU LIVRO SOBRE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
________________________________________

Meu, sei lá, sabe...

Responda estas perguntas:

Você mora sozinha?
Você anda sozinha pela sua cidade?
Você resolve seus problemas sozinha(mesmo que vá dar uma choradinha depois)?
Você é respondona?
Você é MACHO?
Você gosta de ousar?
Você tá cansada de ser quem você é?

VÁ VIAJAR SOZINHA.

"Ah, mas tem lugar que é melhor não ir só." Verdade. E tem lugar que é melhor nem homem nem mulher irem sós.

Eu sou ousada, mas admito que ás vezes sou é retardada. Meu, tem coisas que são desnecessárias para a vida(porque você pode morrer) ou para o espírito (porque te frustarão ou traumatizarão). Faça coisas possíveis. Siga exemplos bons. Copie coisas boas de viajantes. Pesquise lugares em que mulheres foram sozinhas e ficaram bem.

Não tive como saber se o Marrocos realmente é ruim para uma mulher viajando sozinha porque estava com Eber, meu homem na viagem. hahahah. Meu, eu tava com medo de ser maltratada, mas tinha lido que aquele país já é super turístico e sossegado. Eles já interpretam o estrangeiro e querem mais é agradá-lo e se apoderarem do "din din" da gente. Leia muito sobre estes lugares em que a cultura dificulta a jornada feminina. Aprenda sobre as culturas e comporte-se.

Quando estávamos no Marrocos, como via as mulheres usando véus, resolvi colocar minha canga na cabeça e cobrir parte do meu corpo. Pra falar a verdade o negócio é que o calor tava da pesada e o sol insuportável, então até valia a pena se ficar coberto. Minha canga super colorida chamava atençao e Eber achava que as cores tinham um significado ruim porque as pessoas me olhavam o tempo todo. O medo dele era ser apedrejado junto comigo. Safado! Mas acredito que as cores vibrantes é que impressionavam. Tudo passou bem. As pessoas me respondiam na rua, alugamos um carro para atravessar o Atlas, sem problemas. Eber fez as negociações para irmos ao deserto porque é um ótimo "berber". A criatura negocia que é um espanto. Eu já sou do tipo "Quanto é?" "É tanto". "Então não quero, obrigada".
...........................Eu, suzinha na Ilha Innish Mor, na Irlanda...............................
Mulher viajando sozinha tem que ser vestir de forma discreta, saber que se puxar assunto com alguém terá que lidar com qualquer que seja a consequência. Eu sou do tipo que gosto de seguir o caminho todo sozinha. Existem momentos em que você se junta com alguém, mas são momentos, horas, um, ou dois dias. Mais que isso e estamos viajando em grupo. Para mim perde o encanto. Sou uma pessoa que gosta de ter experiências solitárias encontrando gente nova o tempo todo. Dá pra entender?

Nas viagens, quando um homem se aproxima, ou eu me aproximo, tento deixar claro durante a conversa que estou em busca de amenidades e aprendizado. Não quero sexo(...), quero conhecimento. hahahah. Quem disse que algo pode rolar está certíssimo, mas saiba lidar com isso. Pode estragar tudo uma paixão no meio do caminho. É, também pode ser uma bênção dependendo do seu caso. Estou falando de mim. Veja seu caso.

Mulheres viajando sozinhas devem evitar andar por ruas vazias tarde da noite (como eu faço). Este é um momento legal para buscar companhia. Andei sozinha algumas noites, sem medo, até o momento em que percebi que estava sendo seguida. Caras xavecando, falando baixaria em francês, polonês....Polonês eu não entendia, mas pela cara do tipo dava pra imaginar. É que o legal da noite é a vida totalmente diferente da do dia. As luzes, os sons, as fotos que saem mais legais...

A gente que mochila sozinha tem que ficar esperta com as coisas como qualquer mochileiro. Roubo existe em qualquer lugar. Diria que o principal é parecer ambientado, mesmo com sua câmera, mapa e guia à vista. Sentindo alguma ameaça aproxime-se de gente, peça informações, peça socorro, oras! Saiba como pedir socorro, faz favor. Lembre-se do mini dicionário com palavras básicas sempre à mão.

Tenha em mente que se algo pode dar certo TAMBÉM dará. Murphy foi bem sucedido com suas leis que davam certinho como ele dizia. Ráááái.

Façam sinal da cruz, levem o rosário, o Buda, a moedinha, as palavras de apoio dos amigos, o pensamento positivo de quem torce por você e vão embora mochilar. Vocês só vão saber o que vai rolar com vocês indo. Cada um é responsável por sua vida e seu destino. Façam o melhor por vocês logo. Uma viagem destas pode mostrar uma mulher totalmente diferente de quem você achava que era. A grande desconhecida surgindo pelo mundo.

No Orkut tem comunidades de mulheres que viajam sozinhas. Pesquisem, obtenham apoio e dicas dessas desbravadoras que estão metendo a cara no mundo para que vocês ousem fazer o mesmo. Minha cara tá aqui.

Se bem que agora pretendo fazer um mochilão com o digníssimo...
Mas é só pra ensinar, hein!!!

Sucesso em tudo que vocês fizerem. Confiem em vocês. Confiem na capacidade que vocês tem de sobreviver e VIVAM mais a vida.


V for Verônica