11 de ago de 2009

Como comprar seu MOCHILÃO - a mochila mesmo

PARA SABER COMO ADQUIRIR MEU LIVRO SOBRE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI

_______________________________________

minhas duas mochilas - a preta, mochila e mala de rodinhas(podia ser colocada nas costas), nem sei mais a marca, mas comprei na Le Postiche, e a outra é minha Trilhas e Rumos.

Deixe-me contar como foi que adquiri minha primeira e única mochila, já faz 10 anos.
Visitei a falecida loja de departamento Mappin e fui até o andar onde vendiam artigos esportivos. Lá estava ela.

Uma mochila marrom da Trilhas e Rumos, 75L, cheia de zíperes e de tecido bem grosso, tipo uma estopa. Nem imaginei pesquisar sobre qualidade da costura, ou melhor material. Sabia que deveria deixar fácil para eu mexer com as coisas nela e que deveria cair bem no meu corpo, ainda mais que eu já andava com umas dorezinhas nas costas.

Toda convencida, peguei a mochila, coloquei nas costas, ajustei a fivela da cintura, as alças, a fivela de peito e fui me olhar no espelho. Era como se tivesse comprado um vestido. Aí, comecei a reparar nas tantas outras fivelas e bolsos que a bendita tinha. Fivelas de ajuste para comprimir bolsos laterais, bolsos logo na parte de cima da cabeça para pegar coisas que se utiliza frequentemente, zíper por baixo para poder pegar coisas com facilidade por ambos os lados, estrutura interna em metal para as costas, almofada no apoio lombar, cinto de ajuste da cintura acolchoado. Nossa! Para mim aqui já era demais! Hahaha! Perfeito para viajar para onde quer que fosse.

Fiz dezenas de viagens com ela, emprestei a bendita e digo que até hoje ela ainda resiste. Um dia terei que dar adeus a esta extensão de mim em jornadas, mas por enquanto ela ainda resiste!

Olha, não existe uma mochila perfeita para o seu tamanho e se você for muito baixo, não tente comprar uma mochila de 85L, por exemplo. Minha irmã, que tem 1,50m comprou uma mochila da QUECHUA de 65 litros para irmos a Argentina e ficou, mais ou menos, num bom tamanho para ela. Gente, para o frio, não cabia tudo dentro. E o tudo era pouco. Mas veja como fizemos esta compra. Sabia que era uma mochila simples, mas resistente, com bolsos e cintos para colocação de coisas na parte de fora. A mochila tinha estrutura para as costas em metal, mas sem ajuste para altura de ombro. Então, como não encontramos uma a um preço possível com este ajuste, decidimos ficar com esta e fazer os melhores ajustes possíveis para que o peso, quando cheia, se equilibrasse entre o ombro, peito e quadril da minha irmã.

Vai aqui umas dicas para quando você for escolher a sua mochila. Se eu for falar em marcas vai ficar meio complicado porque o negócio é experimentar e conversar com pessoas que possam conhecer a marca que te interessa. Por exemplo, outro dia me perguntaram de mochila da Nautika. Como disse, só tive uma mochila na vida, mas fiz uma pesquisa na internet e descobri o que achavam desta marca no que se refere a Mochilas cargueiras. Você deverá fazer o mesmo. Vamos às dicas para adquirir uma mochila e como medir a mochila ideal para sua altura:
Sua primeira mochila para qualquer clima. Nada radical, ok?

O tamanho da mochila tem a ver com a medida do seu tronco. Meça por trás, seguindo a coluna, contando do topo do da cervical(onde tem um nó quando você abaixa a cabeça – cervical 7), até onde começa seu osso da bacia. Pegue o tamanho da sua coluna nesta medida e daí é que você vai achar uma boa medida de costas de mochila.

- Escolha uma mochila que tenha regulagem de altura da alça nos seus ombros.
- verifique se os cintos de peito ficam bem
- mochilas com muitos bolsos e abertura frontal são muito boas.
- mochila de ataque acoplada também é uma boa
- capa de chuva acoplada e ganchos para você pendurar botina molhada, canecos, panelas, lanterna, o que quiser
- bolsos no cinto do quadril(barrigueira) – o cinto do quadril tem que ficar bem firme e confortável para dividir o peso com os ombros
- tecido que fica nas costas feito de material que ventile
- se for a prova d’água, uuuuuu, maravilha!
- verifique a firmeza das costuras e se toda estrutura do zíper fica coberta quando fechada.
- ignore se disserem que uma mochila é de tal sexo; o negócio é ela cair bem no seu corpo e não fazer mal a sua coluna, principalmente.
- veja a qualidade da almofada lombar porque ela vai ajudar no suporte do peso e aliviará qualquer incômodo no peso roçando ali por baixo.

- sobre a cor, acho legal ter um ponto escandaloso, ainda mais se você estiver numa estrada andando à noite. Pense nisso.

Para começar, acho q está bom. Experimente várias marcas de mochila. Duas marcas diferentes podem apresentar a mesma quantidade de litros e ficar totalmente diferentes em seu corpo. Se você está a fim da melhor, recomendo que compre logo uma importada de marca estadunidense, ou européia porque nos EUA, o povo faz muito mochilão, mas para as montanhas, florestas, então buscam equipamentos que resistam as forças da natureza. Quer escolha melhor?

E vou falar prá vocês: viaje da melhor forma, mas de qualquer forma dá, viu. Meu, já vi gente com três mochilas dessas de escola mesmo, andando pra tudo quanto é canto, ou com aquelas sacolas hippies, uma em cada mão E mochila nas costas e na frente. O povo é muito doido. Todo mundo quer é seguir adiante do jeito que pode e dá. Então, o importante é estar satisfeito, mesmo sem ser daquele melhor jeito.

Vão lá comprar logo a mochilinha de vocês, vejam bem essas coisas que falei e ainda perguntem bastante para deixar o vendedor confuso.
Eber e eu indo assitir ópera no Schumbrum, em VIena- Áutria - agosto/2006

Abraços mochileiros,


V for Verônica

6 de ago de 2009

Convencendo a família(e você mesmo) de que você VAI MOCHILAR E PRONTO!!!


Olá, meus jovens aspirantes a um mochilão!

Viajar de forma independente e para um país diferente é algo bem ousado, posso dizer. Percebe-se porque muita gente fica espantada com a decisão de alguém fazer uma viagem neste estilo mochilão. As exclamações(sim! são só exclamações) vem da inexperiência do povo em se aventurar, nem que seja para ir a outro Estado daqui do Brasil mesmo. O que acontece é o seguinte: basta a primeira vez para você ficar tarimbado. Tudo pode acontecer na sua PRIMEIRA VEZ, mas ela tem que acontecer.

Tem gente que entra em contato prá contar que gostaria muito de mochilar, mas tem família, ou está parco de grana, ou é "de menor" e fica doido pra fazer uma viagem mochileira ainda jovem. Todos vocês, meus caros, tem solução e ela está em VOCÊS MESMOS.

Meu, minha mãe só faltou ter um treco quando eu disse que ia para a EUROPA sozinha. Eu, sinceramente, decidi que iria porque queria vivenciar tudo de forma diferente e porque, referente a grana, era como achava que ia funcionar. O que vocês estão fazendo hoje, conversar com alguém que foi, eu nem tive idéia de fazer. Como havia feito um mochilão antes com minha irmã, tinha mais ou menos idéia do que deveria fazer durante minha viagem. A sorte é que EU MANDAVA EM MIM, EU TINHA GRANA, EU NÃO TINHA VÍNCULO COM NINGUÉM, ESTAVA SOLTEIRA E PODIA FAZER O QUE QUISESSE DA MINHA VIDA. Agora, você....

Você tem família, esposa filhos? Tá frustrado porque algo deu pra trás no seu caminhar e este projeto adormeceu? É esperar o momento e conversar com a família. Um mês, meu, um mês é um pedaço muito pequeno pra um escândalo. Deveria ser motivo de felicidade, de orgulho por você finalmente poder concluir este plano que estava engavetado. Sim, porque uma viagem neste estilo tem que acontecer. Meu, TEM QUE ACONTECER. E fique preparado e prepare sua família para as possíveis mudanças de comportamento. Ou de família. É assutador. Tô te falando. Só que uma vida insatisfeita vale nada se você sabe que pode ser mais para o mundo e para seu curto tempo aqui. É o caso de decidir, ver se há condições financeiras e fazer este projeto andar o quanto antes.

Ah, tem gente que decide que é melhor fazer algo mais por aqui COM O NAMORADO(A). Ah, namorado é bom, queria ter um...mas esse negócio de mochilar com namorado, sei lá, viu... O mundo tem tanta coisa legal que às vezes pode ser podada por causa de companhia. Eu tô falando de conversas com pessoas. Nada de ficar nos agarras com os caras do mundo. Isso pode até acontecer, mas é o menos interessante. Estou falando de ter o contato sem receio de ciúmes, bater um papo legal sobre coisas que você não conversaria com a pessoa mais íntima (porque os estranhos se tornam íntimos em poucos minutos). É necessidade, pureza, LIBERDADE. A Narelle e o Chilli, mochileiros australianos que conheci na Irlanda nem pareciam namorados. Muito gente boa os dois. Mas eram os dois o tempo todo, meses viajando juntos. É um teste para falar a verdade. É mais fácil acabar um relacionamento numa viagem juntos do queviajando separados. Você conhece a pessoa de verdade, seus humores, seu limite de stress, sua organização, o nível de egoísmo. Viajar sem o par é um teste ou um relaxamento para o relacionamento. Na volta veja o que vai rolar. Nada de deixar de viajar por causa do rolo, do enrosco, pelamordedeus! É um mês, caramba! Racionaliza essa paixão. Depois perde oportunidade por gente que nem merece. Fiquem espertos!

A família é um fator que pesa muito. O drama materno, as ameaças do pai, o irmão no ouvido, todo mundo falando que você tá gastando dinheiro á toa e ariscando sua vida. Na minha casa, graças, tive apoio, mesmo que dramático da minha mãe. Meu pai e minha irmã ficaram contentes. Eles sabiam da minha natureza e de que eu sei dar meu jeito em qualquer lugar. Eu sempre volto, oras! Até hoje... Seus pais vão falar que você deveria investir num carro, dar entrada numa casa, casar, procurar um emprego melhor para poder viajar, mas fique esperto porque se você entrar em alguma dívida você precisará ganhar uma graninha que sobre pra poder juntar pra seu mochilão daqui uns.....5, 6 anos. Aproveite sua juventude! Essas coisas(isso é pra você falar pors seus pais) você pode ibter mais tarde. Afinal, você tem casa, tem carro(dos pais) e, se não tiver, tem perna e transporte público pra mais uns anos. Agora, pique pra fazer um mochilão legal, conhecendo muita coisa em pouco tempo (se você é pobre tem que aproveitar), usando seu dinheiro para conhecer e aprender enquanto você só tem você pra investir a grana, isso pode acabar um dia, principalmente se você casar ou engravidar (alguém). É um investimento em você que valera para o sempre. Aprendizados que nenhum outro estilo de viagem vai te dar. Mas tem que ser do jeito que falo aqui.

Pense muito nisso e coragem, meus bens, porque se você tem medo o negócio é enfrentar. No final tudo será tão simples, o OGRO do mundo é tão legal e ele não come gente; come com a gente nos mais diversos pontos turísticos e inóspitos da terra. É companhia que só tava esperando vocês para apreciar um pôr do sol, uma porção e presunto e queijo, um suco de laranja, tudo sentado embaixo de uma Sequóia centenária no Yosemite Park, atravessando a ponte do suspiro em Veneza, ali, do seu lado, falando que você está lá. VOCÊ PODE TUDO! E você não é mais você; VOCÊ É MAIS!

Vai lá, pede logo bênção para seus pais, marido, esposa e realize este seu projeto. Você será uma pessoa melhor depois do sucesso. Concluir algo, ainda mais sendo algo saudável, é uma sensação, gente, MARAVILHOSA. É estranho, você se sente como se ainda faltasse algo porque tudo parece tão fácil depois de realizado, mas é só vontade de fazer tudo de novo.


Tudo di bão procêis!(dialeto louveirense)


V for Verônica

1 de ago de 2009

SAÚDE E MOCHILÃO nos tempos da gripe suína (e outros males da saúde)

PARA SABER COMO ADQUIRIR MEU LIVRO SOBRE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
___________________________________ (tosse! tosse! tosse!)
ai.........
(tosse!)
hum....
bom dia, gente.

É. Eu tô na gripe também. Um frio do caramba lá no meu exterior de Louvercity, surto de lesma, escolas fechadas, todo mundo ranhento e tossindo pra tudo quanto é canto. E como é que fica uma viagem nesses tempos de "gripe com nome"?

É! Porque normalmente minhas gripes são indefinidas. Eu sempre estou com "uma" gripe. E não com a gripe. E falo pra vocês que é uma das primeiras vezes que realmente quis saber se eu tinha "a gripe".

Fiquei bem mal mesmo, cuspindo sangue (ai, como sou nojenta...mas eu conto tudo mesmo), com febre, calafrios, fui parar no hospital. Só que, pelas boas graças do universo, meus sintomas eram de "uma" gripe forte. Não tinha dor nas juntas, nem confusão mental(porque já sou perturbada mesmo), minha pressão estava normal e minha glicose perfeita. O hospital me curou logo que entrei nele. Aí, o médico perguntou pra mim:

- O que você teve?

- Ah, um mal súbito, doutor Carlos (nome escrito no colete que deveria ser dele). Estou com uma gripe, vim aqui ontem, etc, etc, etc...

- E o que você está sentindo agora?

- Fome. Eu tô sem café e quero comer agora! hahahha!

Mais um sinal de que eu estava com "uma" gripe qualquer.

Mas vocês sabem que essa "uma gripe que tive" MATA MUITO MAIS do que a gripe suína?

É que esta é a gripe que ninguém leva a sério. É ela que vai concentrando catarro no seu peito, que faz mal para o seu coração acumulando o mal mau curado. É essa "uma" que se transforma de repente em PNEUMONIA e você, meu bom colega, vai pro saco! Lá pro cemitério de Congonhas.

Estou falando disso porque muita gente teve que adiar seus planos de viagem por causa dessa gripe A, ou H1N1, ou suína, ou mexicana, ou a impronunciável, etc, etc, etc. Antes ninguém tava preocupado com nenhum tipo de mal que pudesse acontecer quando fosse bandolear pelo mundo?

Lembrem-se sempre: vão fazer viagem independente para fora do país, FAÇAM SEGURO-SAÚDE referente aos dias que estarão fora. O valor é pequeno por dia, geralmente em dólar e você pode fazer tanto pela internet, pesquisando, como visitando uma agência de viagens e pedindo detalhes de como escolher seu seguro.

Realize você, em Valparaíso, no Chile, dando uma pigarreada no seu quinto dia de mochilão. Você estava se sentindo meio estranho no dia anterior. Está mochilando sozinho. Olha, colega, nem vacile. Vá direto a um posto de saúde ou hospital ver o que você tem. É muito azar ficar ruim durante uma viagem, mas pode acontecer sim! Eu, graças, nunca fiquei ruim durante viagem. Já passei mal de ressaca, de ter comido um pote de Nutella inteiro, ou por ter ficado enjoada com o chacoalhar do transporte, mas nada sério a ponto de ter que ir ao um hospital.

Se você está se sentindo realmente mal, algo que você não pode cuidar sozinho, não fique se culpando por ter inventado de viajar só. Isso é bobagem. "Shit happens"! A Karishadu - que depois vou postar aqui sobre o que ela falou de Machu Picchu - passou mal de altura e estava só. Ela disse que foi muito ruim ficar mal em um lugar desconhecido e não ter um amigo ou familiar por perto. O negócio é que sempre alguém vai te socorrer, vai ficar com você, vai tentar te acalmar.
NUTELLA NO TREM

Quando estava indo de Barcelona para Blanes, na Espanha, inventei de comer Nutella com umas rosquinhas. Ah, eu aaaaammmmoo Nutella. Os copos de vidro da minha casa são todos de Nutella. hihi. Tem um conjunto com mais de 12. Sem contar os que já quebraram. Então, enquanto esperava o trem pra Blanes, fui comendo as rosquinhas com Nutella. Acho que eu tava meio entusiasmada porque comi o pote praticamente todo. Entrei no trem. Uma hora de viagem.

Estava com meu passaporte no bolso da calça, meu talão de seguro-saúde, cartão de crédito, alguns euros e telefone de contato da casa onde ia ficar.
***Aqui sou eu vomitando no deserto de Chigaga, no Marrocos. Tenho outras...**
Logo nos primeiros minutos comecei a sentir um leve enjoo, mas eu sou boa de enjoar em transporte, então comecei a respirar com calma, fechei os olhos e esperei que melhorasse. Nada.

Meus olhos começaram a pesar. Aliás, a gente cerra um pouco os olhos, como se estivesse com dor de cabeça, mas é só enjoo mesmo. Acho que eu devia estar bem ameaçadora porque tinham duas meninas na minha frente que ficavam olhando com uma cara assustada pro meu lado. Eu estava com a sacola da Nutella e das roscas e não vacilei. Comecei a falar "estoy mala" e passar a mão na barriga. As pessoas ficavam me olhando, mas não podiam fazer nada. Aí, eu fiz. Tirei a rosca e a Nutella do saco e mandei ver. Ai, gente, aí é que eu fiquei pior porque quando você começa a vomitar parece que não vai para nunca mais. As moças na frente ficaram me olhando e olhando para o saco cheio. hihihi. Chegamos a uma estação e alguém me falou pra descer que era melhor. Eu só ficava repetindo "estoy muy mala". Ha! Ha! É engraçado falar isso em outra lingua. Só que ainda faltava muito pra eu descer. Bem uma meia hora. Fiquei com o saco de vômito na mão (hahaha) mais umas estações, toda me tremendo, super enjoada. Até que decidi descer e alguém correu e chamou uns policiais. Eu ia fazer isso, mas se manifestaram antes. Levantei toda me tremendo e um policial GATÃO veio me segurar por trás. hahahah
******Quando o guardinha Gatão era pequeno deveria ser um gatinho assim!*****
Ah, mas eu vomitei nos jardins na estação todinha, sempre apoiada pelo gatão, que me segurava, por trás.....E fiquei lá com os policiais (eram dois) que queriam me levar para o hospital. Eu até poderia ir com eles, mas sabia porque estava ruim e não ia fazer uso do meu seguro saúde para este caso. Bom, cada um sabe de si. Fui embora pra casa.

Bem, este meu caso foi só pra ilustrar um passar mal sozinho.

Quando estiver projetando sua viagem, com meses de antecedência, já pesquise sobre as condições sanitárias do local que você vai visitar. Pesquise sobre surtos, ou boatos referentes a surtos e, de preferência, se seu tempo for curto para o lazer, acredite neles. Vá para outro lugar.

Tenha sempre alguns medicamentos básicos para:
- dor muscular
- dor de cabeça
- febre
- desarranjo intestinal
- cólica
- ande com seus medicamentos controlados e a receita

Visite um dentista antes de viajar.

Beba água de garrafas vedadas. Utilize cloro(hipoclorito) para purificar águas de locais abertos como fontes, rios. Também tem o hidroesteril. Nunca precisei usar, mas vale a pena, principalmente se você for em uma trilha popular e achar um fonte. Coloque um purificador porque onde tem gente, tem sujeira.

Seguro-saúde. Aqui estão alguns links. Nunca comprei nenhum deles (acho...). Procurem pesquisar gente que viajou recentemente, qual seguro usou e pesquise os preços e o valor do benefício. Os que pus aqui são apenas um início para sua profunda pesquisa.

WORLD NOMADS
MONDIAL TRAVEL
Intercâmbio GOTOLONDON
Seguros de viagem
SNew Viagem e turismo
Insuremytrip

Agora, basta.

Vou comer lasanha pra manter o corpinho aqui, na casa de mamãe e papai lindos!

Bom sábado para vcs!

V for Verônica