14 de jul de 2012

Virgem? Tá indo mochilar pela primeira vez? Recomendo duas coisas:

ADQUIRA MEU LIVRO SOBRE MOCHILÃO POR R$18,00 COM CORREIO SIMPLES CLICANDO INFORMAÇÕES NESTE LINK
Bom dia!

Hoje tenho que estudar muito, mas antes preciso te falar uma coisa. Aliás, já falei sobre isso em filmes com espírito de mochilão, mas é sempre bom atualizar as coisas.
Tem dias que estou mais inspirada para fazer coisas. Hoje é para fazer uma parte enorme da minha monografia. Antes de fazer alguma coisa importante é bom fazer uma oração, então eu peguei o filme ANTES DO AMANHECER e pus como fundo dos meus estudos. Tô ouvindo ele enquanto escrevo.
Seguinte: este filme é simplesmente o ESPIRITO DE UMA VIAGEM MOCHILEIRA. Há muito tempo uma amiga minha tinha falado sobre ele e eu pensava só que era mais uma historinha chata romântica, mas não! É a realidade, sem músicas de fundo bem posicionadas. O sentimento que está no filme é do momento, sem influências do diretor. Coisas que acontecem. Interrupções de estranhos no caminho, gentilezas, uma amizade que se aprofunda em poucas horas. Isto ACONTECE! Sem contar que a fotografia não foi "escolhida". É real! Os lugares do mundo têm belezas que às vezes passam batido se você não toma consciência de que tem que enxergá-las, não apenas vê-las. Entende?
Nestas viagens, mais livres, decididas de momento, a gente se descobre e se ajuda, além de ajudar outros sem sequer perceber. Quando os olhos se abrem para o mundo nada mais fica invisível. É uma descoberta, uma bênção. Ou uma maldição! 
A bênção vem porque você vê que o mundo vale a pena, é enorme e cheio de lugares e culturas e bilhões de pessoas para serem conhecidas. O conhecimento faz com que exercitemos viver melhor e fazer os outros viverem melhor. Quem sabe até mudamos de vida. Isto já aconteceu com gente conhecida (meu querido Eber Guni).
A maldição vem também pelo conhecimento. A vida é curta, outros lugares no mundo funcionam melhor. Por que? A população de tal lugar tem uma vida muito mais calma e segura. Por que? em tal local já estão usando muito tecnologia de sustentabilidade e são populações muito  maiores que as do local que eu vivo. Por que ainda não temos isto lá? Pra este lado tem muita guerra e onde vivo é uma paz só. Por que está acontecendo isto aqui? Você aprende, descobre coisas boas e ruins e não há como voltar um conhecimento. Não tem MIB que apague a memória das coisas que o mundo tatuará em você.
Então, você já sabe: esteja preparado porque você vai mudar. Contudo, para mudar você tem que se deixar  descobrir pelo mundo e pelas pessoas. Nada de se esconder atrás de colegas de viagem, ficar dentro de hotel individual, ficar andando de transporte público o tempo todo, fazer passeios e mais passeios com guias. Isto não surte um efeito mochileiro. Outra coisa é cuidar da saúde enquanto estiver viajando. Comer direito, tomar vacinas se necessário, caminhar bastante e ler bastante sobre tudo. Escreva também para os que estão criando coragem pra fazer como você! Divida esta maravilha que é VIVER. 

Bem, vou estudar e nem adianta olhar pra esta luz aí embaixo.
A luz está DENTRO DE VOCÊ!
Sorte!


V for Verônica



A outra dica é o LIVRO, claro
MEU PÉ QUE ME LEVA PELO MUNDO

8 de abr de 2012

"Verônica, mandei msg pra vc! Estou a espera de sua resposta."

Saudações, queridos viajantes, futuros viajantes, analistas de uma vida melhor!

Como estão neste domingo de páscoa?

Aqui estamos Mamorrr e eu meio doentes. Ele como uma flor - DIRETO NO VASO - e eu como o Robocop, com crise de hérnia de disco. Tudo bem. Ficamos quietinhos juntos e aproveitei para dar uma limpa nos meus e-mails. Olha, ainda bem que fiz isso pelo que vou lhes contar agora.
Gente, a pior coisa é alguém falar com vc e não ser ouvida, ou lida. A internet nos dá uma facilidade enorme de comunicação com as pessoas q consideramos as mais distantes, seja pela geografia, pelo jeito de ser, ou pela nossa timidez em dividir palavras com outros. Eu sou uma pessoa acessível pq exponho meu e-mail, exponho quem sou e arrisco opinar em coisas que sei apenas de curta vivência. Ainda assim, considero que vale a pena falar do que sinto e acho valoroso para vcs.

Limpando minha caixa de e-mail dos intermináveis clickon, groupon, saraiva, siciliano, americanas, smiles, ponto frio, submarino, humane society, i want one of those, etc, etc, etc, encontrei, a espera de resposta, 5 mensagens de futuros viajantes, leitores do livro que escrevi - MEU PÉ QUE ME LEVA PELO MUNDO - e pessoas que queriam saber sobre o livro.
Cada uma dessas pessoas que me envia msg é uma possível candidata a mudar radicalmente de vida e vejo isso imediatamente quando leio seus e-mails. Muito mais do que mudar suas vidas é o que podem fazer na vida dos outros!!!
Estes possíveis viajantes, mochileiros iniciantes ou inveterados, dividem comigo - AGRADEÇO COM MUITA FELICIDADE - seus anseios, suas realizações, seus medos e sua busca por apoio psicológico. São seres que querem mais felicidade do que já tem ou apenas querem a felicidade tão procurada. Louvo suas inciativas. Fico em uma posição meio de psicóloga e aprendiz, pois em cada texto há um coração jovem cheio de vontade, de paixão por algo diferente, novo, que transforme a vida. O mochilão realmente faz isso acontecer. Pergunte a Eber, a Bruno, à Manú, ao Jinq, à Wen, ao Alê, Clayton, Elvis, Vanita, Luciana, João Rocella, Crislândia. Veja Ernesto Guevara, oras! Nada mais fez que um mochilão temático! Clauzinha, Katchenha, Joici, todo este povo que se aventura ou já se aventurou em uma mochilada no estilo mais pé na estrada possível.
A vc, que foi um dos que ficou perdido no meio dos meus e-mails, peço reparáveis desculpas pq quem tem espírito de viajante perdoa. (hahahah). Prometo fazer isso de novo o mínimo possível pq sou humana e atrapalhaaaaada.....mas estou aqui por ora e quero continuar compartilhando esta celebração da vida junto ao mundo e junto a vocês, futuros viajantes. Futuros MOCHILEIROS!

Estou respondendo suas mensagens HOJE e aguardo que não façam o mesmo que fiz com vcs. Contem-me tudo de seus projetos o quanto antes e aproveitemos que estou travada e tenho q dar um trato no que dá por aqui.
Meus sinceros agradecimentos aos que gostaram do livro e FORAM MOCHILAR.
Meu desejo ainda por se fazer aos que estão planejando a viagem e que vão logo criar coragem.
E vão tomar um bom banho vcs que acharam o livro legal, mas acham que nunca terão as manhãs de viajar de uma forma mais independente.
Estes precisam de mais terapia comigo e com tanta gente q já fez este tipo de viagem.
V for Verônica

19 de mar de 2012

Mamãe não quer que eu seja um mochileiro

Mais uma vez, a benção, mamães e papais!

Pedimos a sua bênção para nós, futuros e veteranos mochileiros.

Sabe a história dos antigos de que “filho foi feito para o mundo e não para vocês”? Deixe-me contar uma coisa sobre isto: é verdade!!!

Eu sei que vocês já estão todos chorosos, principalmente chorosas, contudo saibam que é mais provável que seu filho volte de um mochilão do que de uma balada nas noites deste país. Estatística de viajantes que desapareceram você não ouve porque são mínimas. Nada para se desesperar. É assunto de nichos. Pouco acontece, principalmente porque somo uma terra de galinhas com os pintinhos grudados embaixo de nossas asas. Pobre de minha mãe. Ela, que é uma galinhazinha daquelas gordinhas, que me aquece, oferece todo carinho e conforto, uma matrona do melhor estilo de filme de máfia italiano, apesar de ser nordestina, não conseguiu me segurar. Tudo bem, porque ela segurou firme no rosário e, até hoje, tudo deu certo.

A vida é bem isso: hoje pode estar tudo bem e amanhã TAMBÉM. Quem é que acorda pensando que vai tropeçar e bater a cabeça na primeira sarjeta? A vida tem que ser leve e os pensamentos os mais positivos possíveis. Coisas podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer momentos com desconhecidos ou conhecidos. O fato é que acontecem. Então, mãe, pai, se vocês pensarem positivo com a gente, podem crer que a energia do universo vai estar bem mais a nosso favor. E se vocês entenderem que esta primeira aventura para mim que tenho medo de tudo, vergonha de tudo, receio de tudo, será como escalar meu primeiro Everest, aí saberão que torcendo por mim e me apoiando estarão fazendo algo melhor tanto por mim como pelo universo em que vivemos.

O planeta precisa de pessoas que tenham conhecimento e não precisa ser apenas aquele da escola. Os homens tem que se conhecer, conhecer a cultura dos outros, conhecer problemas e soluções conduzidas pelo mundo. É assim que evoluímos, nos tornamos menos cruéis com os outros e conosco mesmo.
Pai, mãe, torçam por nós. Deem seu apoio e confiança. Não somos loucos; somos apaixonados em nossa juventude, em nossa vontade de conhecer, de ousar, de começar a viver uma vida mais interessante logo. A gente sabe que o tempo passa rápido e que daqui a pouco nos apaixonamos, trabalharemos demais, nos casaremos, teremos filhos e, provavelmente esta será uma de nossas únicas experiências maravilhosas. Claro que também, depois de uma dessas, a gente talvez planeje diferente nossa vida, até não case, ou não tenha filhos...ou não trabalhe! Hahaha. Mas sabemos que viajando deste jeito, no estilo mochilão, mais soltos, mais independentes, saberemos escolher melhor o que será bom para nossa vida futura.

Não nos chamem de loucos. Chamem-nos de sábios, de antigos. Afinal, não há nada mais antigo do que ser nômade!

Chamem-nos pelo nosso nome: filho.

Confiem no que vocês passaram pra gente. Ajudem no que puderem para tornar esta primeira experiência um pedaço de vocês também.

Ajudem para que nossas vidas sejam EXTRAORDINÁRIAS!

V for Verônica

2 de mar de 2012

Encontros e Desencontros com as pessoas do caminho

Tem um post com info sobre como adquirir o livro MEU PE QUE ME LEVA PELO MUNDO

Alma boa que nos deu seu mapa de Bruges às 22h00, qdo chegamos lá

Ah, vá! Tô plagiando o nome do filme em português sim, mas é para “ilustrar” o post sobre o pessoal que a gente tem a felicidade de encontrar no percurso do mochilão.

Dono de loja de miniaturas e seu petit chat batendo um papo conosco em Bastogne

Aquele que dorme em cima de você na beliche e te convida pra ir visitar um museu com ele, aquela turma que tá te vendo ler um guia de viagens, sozinho no sofá do albergue e pergunta se você quer ir a uma festa com eles. Tem aquele que começa a puxar um assunto e descobre que o que você vai fazer pode ser mais interessante do que o que ele ia fazer e se convida pra ir junto com você.

Essas pessoas surgem do nada, têm nome, e-mail e nação e têm um pré-roteiro que se perde a cada encontro com outras pessoas do mundo. Como isto é legal! Essas pessoas são, em sua maioria, principalmente se estiverem sozinhas, mais verdadeiras, gentis e abertas a ensinar e aprender. Gostam de contar suas peripécias e ouvir (o que é muito importante) as nossas. Cada um busca uma coisa nestas conversas de jornada: libertação, conhecimento, novas experiências, tempo para si, fugas impossíveis, se encontrar.

O mochilão, este estilo de viagem do qual fala muito este blog, é a chave pra você encontrar você mesmo e entrar em sintonia com o universo. O mochilão faz você ser mais analista do essencial para a vida. Acabei de fazer outro mochilão em outubro passado. Fui acompanhada de Mamorrr. Fizemos uma viagem divertida, tranquila, visitamos muitos lugares e tivemos encontros com pessoas maravilhosas. Admito que nunca falei com tanta gente em viagem e devo isto ao fato de estar acompanhada por um homem que, além de me deixar segura para falar com outros sem risco de outra impressão, também adorava falar (sem saber a língua) com todo mundo. Todo mundo mesmo. Ele se desenrolava no inglês e eu complementava as conversas. Pensa que ele tava preocupado em não entender? Nada! Ia gesticulando, tentando palavras perdidas em todas as línguas que não sabia (hahahah) e me chamando diversas vezes: “Mamorrrr, como se diz tal coisa?” “Mamorrrrr, e tal coisa?” “Mamorrrr, fala pra ele isso, isso e isso”. Ai......E nisso ele ia falando junto o que sabia. Foi muito legal e pude exercitar muito mais meu inglês e francês.

Encontramos o Philipe e Madame Suzette, em Bastogne, na Bélgica. Ela é a senhorinha fofa, recepcionista de um museu de guerra e Philipe está ajudando, de boa vontade, a organizar todo o espólio de guerra que se tem por lá. Também estava fazendo um apanhado de peixes da região para identificar no museu. Havíamos ido no dia anterior até este museu para saber até que horas ficaria aberto no dia seguinte porque iríamos visitá-lo. É uma casa grande com um monte de coisas de guerra amontoadas em armários de vidro. Está tudo bem confuso, mas é de impressionar.

Fomos logo pela manhã já de mochila visitar o museu porque depois iríamos para Luxemburgo, e perguntamos o valor . 6 euros. Tínhamos 100 euros. Perguntamos se trocavam, ou se havia um lugar onde trocariam para nós. Madame Suzette disse que não aceitariam trocar a nota de cem porque muitos têm medo de que seja falsa. Ficamos meio sem graça, sem saber o que fazer, mas Madame Suzette foi rápida: “Podem entrar sem pagar. Vocês foram bravos em vir aqui de novo com suas mochilas. Visitem de graça. São os primeiros do dia e isto poderá nos dar sorte!” Agradecemos, muito contentes e deixamos nossas mochilas com ela.

Enquanto estávamos tentando acordar os papeizinhos com informação às peças, Philipe olhava de longe. Depois de alguns minutos, ele chegou para mim e perguntou se eu gostaria que ele nos acompanhasse em um tour guiado pelo museu. Como é que é? A gente não pagou e ainda vai ter o privilégio de um guia “en français”, explicando história e peças??? Claro, querido Philipe! Ficamos umas 3 horas rodando pelo pequeno museu, onde foi-nos explicado praticamente sobre todas as peças expostas na vitrine, além de uma pequena aula de história da segunda guerra mundial.

Philipe adora o exército, havia servido e esteve no Oriente médio. Tem aproximadamente 45 anos, um filho, pelo que entendi, está separado e mora na fronteira com Luxemburgo. Depois de nos contar histórias como o que as pessoas de Bastogne fizeram com os espólios de guerra, transformados em enxadas, panelas, cuias, transporte, etc, perguntou um pouco sobre nossa viagem e para onde iríamos. Depois de um papo muito divertido e de fotos junto com Philipe e Madame Suzette, mamorrr e eu nos preparamos para partir da querida Bastogne. Philipe disse q iria dar uma passada em casa e depois voltaria para terminar o trabalho e que poderia nos dar uma carona até a estação de trem mais adiante e economizaríamos mais desta forma. Aceitamos e fomos no Ka de Philipe até sua cidade, que esqueci o nome....

Chegando na estação de trem, Philipe ficou aguardando conosco o horário de chegada e nos deu dois passes de 1 hora para estre trem. Deveríamos validá-lo e poderíamos usá-lo ainda em Luxemburgo. Puxa, que cara gente boa! Tudo que podíamos dar a ele além de nossos e-mails e a promessa das fotos(que ainda não mandei por e-mail....) era PAÇOQUITA, que eu tinha comprado aqui pra mamorrr comer e ter energia. Hahahha.

Comungamos as paçocas e o trem chegou.

Abraçamos Philipe, agradecemos sua gentileza e entramos no trem. Ainda tivemos tempo de filmá-lo entrando no carro e acenando um adeus triste. É algo muito estranho e emocionante. É uma breve gentileza, aquelas poucas palavras e tudo toma um outro rumo na jornada. É como um encantamento com aquilo que todos deveríamos ter: respeito por todos.

O trem partiu rumo a Luxemburgo e levei um susto com a beleza da cidade velha, Patrimônio da humanidade, encravada por entre pedras milenares e um castelo semidestruído. Saímos da estação e, nos atrapalhamos com o sentido que deveríamos seguir a procura de uma hospedagem.

Caminhamos com nossas mochilas pesadas por uma leve garoa, compramos um frango frito. Mamorrr viu uma moça que parecia não estar fazendo nada e foi, sem me esperar, pedir informação para ela de como ir até a cidade velha. Ele é demais. Gosto de homem assim. É o meu amor. A moça disse que nos levaria até onde queríamos porque estava esperando um amigo que ainda iria demorar. Mais uma pessoa especial em nosso caminho. Seu nome era Linda.

Daí, apareceram tantas outras pessoas marcantes, não pelo que fizeram conosco, mas por serem parte de nossa jornada, por terem nos dado a oportunidade de encontrá-las em nosso caminho e tê-las para sempre em nossas vidas.
A gente pode se encontrar, desencontrar, mas tenha certeza de uma coisa: no ápice destes dois momentos é que aprendemos e ensinamos as coisas mais especiais da vida. Numa jornada com recepções e despedidas o espírito se eleva, a mente se abre e tudo fica mais perfeito e claro. É só experimentar!
Vamos mochilar?
Logo?
V for Verônica

5 de fev de 2012

Passe sua história adiante! Corra da chuva!


Silver Duck e Fabiana voltando para seus lares

depois de uma breve parada em Louvercity
com muitas histórias de mochilão pela nossa
"Maiúscula América"(Guevara, E. 1952)
Colegas viajantes e futuros viajantes,
saudações!

Silver Duck esteve aqui com Fabiana e contou muitas histórias de seu mochilão repentino com João Rocella pela Bolívia em 2010. Fiquei encantada com a história de beber muita vodka lá na sibéria para não congelar o xixi quando saísse(contada por um cidadão russo!!!). Quais serão as próximas mochiladas? E histórias?
Ontem fomos Mamorrr e eu almoçar na minha irmã. Fui, na verdade, jantar porque a criatura demorou até o sol quase se pôr pra por tb o almoço. Mas tava tudo muito gostoso. E não foi pq eu tava já morrendo de fome.
Tagarelamos até, comemos demais e falamos da vida. Aí, como agora deve ser muito comum, começamos a dividir dicas de videos do Youtube, e lá foi uma leva de videos de música, de shows, de coisas engraçadas e inusitadas. Vimos "CENAS DE FILMES QUE NÃO ESTAVAM NO SCRIPT". Fiquei tocada com uma frase que Mamorrr já falava que era muito marcante na vida dele. Nós não imaginávamos que a frase fosse algo saído de uma atuação profunda, do que o ator estava sentindo no calor da cena.
Fiquei pensando na vida, nas histórias que contamos uns para os outros, como eu, que conto tanto do meu prazer em mochilar, na ação natural de contar e recontar experiências nossas na inconsciente intenção de que possa servir de ensinamento, ou apenas seguir adiante, mantendo momentos nossos vivos na boca dos vivos. Porque vamos morrer!
É, gente, falo de morte pra que enxerguem o quanto antes a importância da vida e de realizar coisas. De sempre tentar, fazer, falhar e tentar de novo, acertar, mudar o rumo que está perdido, achar o caminho, aprender, orientar, ter experiências, ensinar os outros. VIVER. É tudo o que temos a fazer aqui. Se vc sente que vive bem, que tem coisas importantes a dividir, divida. Mantenha viva suas experiências, passe para os outros sua humilde sabedoria. Guardar conhecimento é tolice. Medo de concorrência não pode existir. Estamos todos correndo é para um fim; Nosso caminho é apenas nosso, mas podemos deixar outros participarem dele. Apenas o final é solitário. O saber, o vivenciar, o aprender precisa ser propagado. A memória pode e deve perdurar extraordinariamente.
Eu faço esta parte aqui, que é algo que considero demais para a vida: o mochilar, seguir desporvido de falsa segurança, experimentar o mundo, as pessoas, você mesmo. Testar sua capacidade e ver que você é muito mais do que um ser ordinário. Você tem força, conhecimento, sabedoria e VIDA.
"Eu vi coisas que vocês, humanos, nunca acreditariam.
Naves de ataque em chamas nas bordas de Orion.
Observei raios-C brilharem na escuridão dos ares dos Portões de Tannhäuser.
Todos estes momentos se perderão com o tempo,
como lágrimas na chuva.
Hora de morrer."
Fala final do replicante Roy (Rutger Hauer) em "Blade Runner - O Caçador de Andróides.

28 de jan de 2012

Artur - aí vai "o seu post" falando de visto, aéreo, como levar dinheiro e sobre meu livro!!!

Juninho sendo preso no trilho do trem de Louveira por Yasuda,

irmão que o ama muito.
Bom dia de sábado a todos. Espero que estejam lendo o blog de algum artigo móvel, andando por aí pelo mundo!
Artur sugeriu q eu respondesse publicamente a questão dele pra ajudar mais futuros viajantes do mundo. Então, aí vai a msg dele:

--Veronica, não é a primeira vez que leio teu blog, e vou te dizer gosto muito, da muita vontade cair no mundo de mala e cuia ( ou mochila ) rsrs, bem bacana você dar todas as dicas de quanto gastou e como fez para se deslocar de um lugar a outro. Agora eu tenho algumas duvidas que imagino que outras pessoas que leem seu blog também tenham, só para você saber eu nem tenho passaporte ainda, vou tirar o meu no segundo semestre deste ano, ja decidi, tenho experiencia em viajar dentro do Brasil ( Argentina e Paraguai não contam porque é tão perto e eles falam portugues praticamente (eu tb achava isto até ir pra Patagônia). Vamos as minhas duvidas:

--Imigração, você acha que chegar a Europa com passaporte em branco pode me dar algum problema para entrar ???? Como foi com você ???

Artur, já estive pela Europa por 4 vezes. Uma vez entrei pela França, outra pela Hungria, Outra pela Grécia e a última pela França de novo, só para pegar o voo pra Dinamarca. Do jeito que o Brasil está se dando bem econômicamente duvido que queiram barrar turista daqui em qualquer lugar da Europa. O negócio é vc sempre pesquisar pela rede ou com amigos se ouviram algo de gente sendo deportada com visto de turista e de que país a pessoa foi deportada. este negócio de começarem a fazer perguntas é muito aleatório. Só fui entrevistada uma vez, entrando na Inglaterra. Foi tenso, mas levou menos de um minuto. Passaporte em branco brasileiro é uma honra para o país que for carimbá-lo. o brasileiro está viajando mais para fora e se tornando mais culto por conhecer mais do mundo.

--Como você fez para comprar a passagem indo por uma cidade e voltando por outra ? Eu tentei pesquisar no site das proprias operadoras ( me disseram que assim sai mais barato) e não consegui e pesquisando somente ida sai praticamente o mesmo valor que ida e volta.

Sempre pesquiso também em alguma agência mais pop de viagens. As agências recebem cotas de passagem e tem uma porcentagem que podem alterar. Pesquise na net primeiro e depois nas agência pra poder negociar. Se possível, imprima a página.

Comprar passagem saindo de um lugar e voltando por outro é feito clicando "destinos múltiplos". Assim vc pode optar por entrada em um lugar e saída por outro.

--Na zona do Euro se você ja tem o visto em um pais vale para os demais ??? Por examplo você tem o visto em Portugal ( Lisboa ) , eu tenho que ter outro visto em LOndres e Barcelola ????

É bem estranho isto porque já viajei por mais de 13 países só na Europa e não tenho mais que 5 carimbos no meu passaporte. Desta última vez caribaram quando entrei na França e quando voltei em uma conesão em Amsterdam. Vai muito de passar por algum posto de fiscalização também. Em viagem de trem entre um país e outro, viagens noturnas, é mais comum pedirem seu passaporte. Em 2003, em uma viagem por 7 países, tive 2 carimbos, mas muita fiscalização.

Inglaterra é uma outra história. É uma ilha, vc entra por ar, por trem e por mar de forma super fiscalizada. Sempre foi assim, mas também não sei de ninguém que foi deportado. E olha que eu bisbilhoto e o povo conversa comigo. Cada um é um. Pode haver riscos, mas tem q ir com confiança. Tem gente que até se prepara pra responder perguntas antes de viajar pra uam Inglaterra, caso seja entrevistado!

--Você levou dinheiro vivo pelo visto, ja tentou aquele cartão que você alimentta como credito e usa debito automatico ???

Já usei traveller Check(há muitos anos), usei muito cartão (continuei usando) e pensei em fazer um VTM, o Visa Travel Money, cartão de débito. O negócio é que todas as outras vezes fui com dinheiro vivo e não me fez maior peso, ou mais medo. Acho q é falta de juizo. Vai da sua sensação de segurança. Quem usa acha excelente. Também depende de onde vc tá indo, tipo, civilização ou deserto. Tem cidades que tem máquinas de VTM a cada troca de passo. A VISA assegura que tem máquinas suficientes dispostas para satisfazer o viajante.

Bom, por ultimo ... ainda tem copia do teu livro sobrando, posso depositar na tua conta do Bradesco semana que vem ??? Responda quando você puder, só uma sugestão , minhas duvidas podem ser também a de outros leitores teus então se você quiser responder em forma de post acho que vai matar dois coelhos com uma só estilingada rsrs. ABS. Artur

Menino, ainda tenho exemplares sim. Espero liquidá-los este ano pra poder preparar um novo para casais que querem mochilar juntos.

Tem um post com info sobre como adquirir o livro MEU PE QUE ME LEVA PELO MUNDO

Que bom que você é viajante. Os viajantes tem energia boa.

Povo, devo mesmo ter esclarecido dúvidas por aí. Isso é muito bom e tb me ajudam a buscar o que não sei pra dividir com todos.

Sucesso e aguardo seus contatos!
V for Verônica

22 de jan de 2012

Resumo do mochilão de outubro 2011 -custos detalhados e roteiro



Meus bens! Saudações mais uma vez!
Deixe-me fazer um resumo de onde fomos e dos custos, ok?
Vamos lá:

foram 20 dias de viagem
saída de SP - 25/10
retorno - 15/11

ROTEIRO REALIZADO
Copenhaguen (Dinamarca)//de busão para
Amsterdam(Holanda)// de trem para
Delft (Holanda)// de trem para
Rotterdam (Holanda)// de trem para
Antuérpia (Bélgica)// de trem para
Bruges (Bélgica)// de trem para
Bruxelas (Bélgica)// de trem e ônibus para
Bastogne (Bélgica)// de carona e trem para
Luxemburgo (Luxemburgo)// de busão para
Thionville (França)// de TGV(hihi) para
Paris (França)// de trem para
Caen(França)// de tram para
Versailles// de trem para
Marselha// de avião (rááái) para
São Paulo e de volta a rotina com mais novidades para o povo e mais incentivo para fazerem o que fizemos.

Pela internet

Custo da passagem: Air France - R$1908,85 já com taxas aéreas

Voo:
Ida -São Paulo - Paris (França) //Paris -Copenhagen
Volta - Marselha(França)-São Paulo
Compramos a passagem em 5 parcelas e com  três meses de antecedência. Comprando antes ainda pode sair mais barato.
*Se vc conhece alguém da área do turismo, tem amizade, é possível que ela consiga bons descontos para você.
Custo de hospedagem: média de 30 euros a diária, alguns com café da manhã.

Reservamos a maioria das hospedagens pela internet e de um dia para o outro, enquanto estávamos mochilando. Este foi o problema durante a viagem pq eu não atentei para o feriado do dia das bruxas logo que chegamos. Se tivesse me ligado, tinha reservado mais hospedagem antes de ir, mas....não é meu estilo. Eu me divirto. Tb pegamos dicas pra nos hospedar.

Ficamos abrigados em hotel, albergue e em "estação de trem" (tivemos que dormir uma noite na estação porque os hotéis e albergues estavam LOTADOS (feriado do dia das bruxas).


mendigo acampado em estação de metrô dem Paris

Seguro de viagem
custo para 20 dias: R$160,00 - Assist Card (acho. Mamorr tem que achar o cordãozinho)
Fui na loja da CVC aqui de Louveira, falei com a fofa da Rafaela e compramos apenas um seguro para Mamorrr parcelado em duas vezes, porque eu tenho o meu do cartão de crédito(veja isto na página de seu cartão na internet, se vc tem incluso nos serviços ou ligue pra eles).
Dá direito até a repatriação de corpo e se vc tem sua bagagem roubada há a devolução de R$2000,00.
pelo seguro.

Dinheiro para gastos
2100 Euros para os dois - Estava R$2,38 o euro. Foi R$5000,00 (divido por dois)
A Rafaela da CVC também nos ajudou com isto. Fizemos a compra de Euros com ela na segunda-feira e viajamos na terça-feira, dia 25/10, aniversário da minha irmã linda que ainda há de fazer uma viagem poderosa tipo esta.
Passe de trem
Compramos com Eber Guny, meu querido amigo mochileiro, que trabalha na CI Faria Lima, em São Paulo.

Valor para um France railpass de 4 dias em um mês para duas pessoas viajando juntas- 326 euros - R$831,00. (divido por dois)

Decidi que iríamos usar o passe de trem por economia. Realmente é uma economia, mas não é o meu plano de viagem pq vc tem q se ater a roteiro. Se vc tem mais grana, ou é experiente em viagem e sabe que é possível pegar carona, ou um busão de vez em quando, ou até avião, pode se dar ao luxo de não comprar o passe. Entenda que viajamos por 5 países, sendo o maior a França. Por isso optamos pelo passe. Ah e tb porque mamorrr queria andar de TGV. E andou!

Se vc vai pegar um trem de alta velocidade(Train Grand Vitesse) lembre-se de fazer reserva antecipada(3 euros p/ cabeça). Se vai viajar de noite, reserve pela manhã ou um dia antes dependendo do dia(final de semana, feriados, eventos) pq pode ficar sem lugar!!!

Então, o total gasto, assim, quase exato por pessoa nesta viagem de 20 dias foi:


R$5000,00


Agora, nós gastamos mais com hospedagem pq não encontrávamos albergue vazio, compramos gostosuras, alguns souvenires q tem valor de presente mesmo, e mamorrr comprou miniaturas de carro porque estavam a um valor mais convidativo e ele é amante e vendedor de miniatura no mercado livre (olha a propaganda - TADEU.ITATIBA). O valor gasto de cada um, deste jeito foi de quase R$6000,00


"Mas vc, como funcionária pública, ganhando uma grana male male por mês, como fez pra juntar esta grana, assim, tão rápido?"

Então, gente, fiz um empréstimo consciente pelo meu cartão de crédito, que estava com juros baixos e tô pagando ele. Ah, mas é como mais uma compra. Só isso. E não deixo de pagar! Porque, se precisar fazer de novo, eu faço!

Mamorrr é um baita parceiro de viagem. Animado, ousado, vai falar com todo mundo, acorda cedo, é organizado, cheio de pique, um amor de homem. lindo, lindo, lindo.

Foi divertido, contudo, porém, entretanto prefiro mochilar sozinha.

E vc, quando vai fazer seu mochilão?


V for Verônica