13 de fev de 2009

PARTE 2 - PREPARATIVOS PARA O MOCHILÃO PELA FRANÇA





Como estão?
Deixem-me continuar na organização de nosso mochilão.

Meu roteiro sempre é feito de forma que eu não passe duas vezes pelo mesmo lugar. A única coisa que repetirei, desta vez, será a chegada e o retorno – por Paris. Gosto de sempre ir adiante - nunca andar em círculo - mas como é um país só, a passagem fica mais em conta se a ida e a volta são pelo mesmo lugar. Pretendo fazer o roteiro no sentindo horário, terminando na parte mais emocionante para mim: local do desembarque das tropas aliadas. Também visitarei a ilha de Córsega. É sempre bom visitar ilhas.
Pesquisarei bilhetes de trem para comprar pela internet. Você pode fazer isso porque muitas vezes sai mais em conta. Um bilhete de trem com validade para trinta dias, só pelo país, está perfeito. Eu não costumo comprar bilhetes com antecedência. Faço tudo por lá.

Estou pensando em, logo que chegar, passar um dia em Paris, só para me situar. No dia seguinte, já vou para a primeira cidade envolvendo meu projeto. Isso porque Paris é um lugar onde devo ficar, no mínimo, dois dias. Mínimo, hein! Pretendo passar uma semana por lá. É que quero visitar diversos museus, bairros e pontos turísticos que vemos em todas as revistas de viagem. Quero tomar uma taça de “vinho” da casa num “café” na rua, comer crepes de Nutella na Champs Elisées, subir ás 23h00 na Torre Eiffel e fotografar todo o arredor, atravessar pontes que vi em filmes, sentar nas margens do Sena e ler qualquer coisa, ver os velhos jogarem bocha, andar pelas ruas e apreciar pequenas feirinhas artesanais, ver o quartier latin, La Défense, o bairro da luz vermelha, Montmartre, ver o Moulin Rouge, visitar a livraria Shakespeare, cemitérios, visitar uma parte das catacumbas de Paris...nossa, é muita coisa! E é gostoso apreciar tudo com calma. Isso dá para fazer, ainda mais que é um país só e o roteiro será bem leve. Normalmente meus roteiros são da pesada: quatro, cinco, oito países em cinco semanas. Eu dou conta e aprecio tudo, mas como estou querendo te mostrar de pouquinho, é melhor que seja assim, mas que você faça!

Vejamos, os aliados desceram na NORMANDIA(noroeste). Então, vamos visitar algumas praias!!! Tem alguns roteiros fora do objetivo GUERRA que quero conhecer. Então, tenho que acordar tudo.

Pretendo fazer, praticamente, tudo de trem. Quando conseguir uma carona, pegarei. Pelo interior acho que será mais fácil.

Estava pensando nessa história de fazer um país só. É bem estranho para mim. Se bem que fiz só Argentina (que é enorme) e parecia sempre estar em um país novo a cada mudança de cidade. É que apesar da língua não ter mudado, a paisagem era totalmente diferente. Lugares com geleiras, montanhas, outros desérticos. Lugares bem simples e outros moderníssimos. Foi bem interessante. Na França será mais ou menos isso. Não pela vegetação, mas pelas colonizações. A Bretanha fala francês, mas tem seu próprio dialeto. Alguns lugares a leste têm bastante uso do alemão. E os sotaques, pra quem não fala a língua, são novos idiomas. Será bem interessante perceber isso.

Vamos adiante!



V for Verônica

Um comentário:

  1. Olá, Verônica, me tira uma dúvida: tem como ir para a França, falando apenas inglês?
    Você viajou para lá já sabendo falar francê? Que idioma usou? Um beijo e obrigada!

    ResponderExcluir