30 de mar de 2009

Existe o fator IDADE para fazer uma viagem dessas?

Existe o fator IDADE para fazer uma viagem dessas?

Tudo o que escrevo aqui é apenas opinião minha. Espero que ajude em suas decisões.
Ainda estou pra fazer uma viagem como esta, um estilo de viagem diferente do mochilão, do turismo em geral. Está mais para um caminho nômade, de alguém que pôde deixar durante um bom tempo seu cotidiano e as responsabilidades diárias, talvez com o apoio da família, talvez mandando todo mundo se catar, mas com a consciência de que em um ano (por exemplo) muita coisa pode acontecer, com quem viajou e com quem ficou.

Quando se diz que a idade está na cabeça, eu discordo. A idade está apenas no corpo, que vai se acabando. Se der um alzheimer, aí vai a cabeça também....Nossa alma tem espaço no tempo e ela pode ocupar grande parte do universo de acordo com nosso aproveitamento do tempo(papo de louco). Como estamos falando em viagem, a dica aqui é vagar pelo mundo e conhecer os vários estilos de vida, artes e culturas dos Adãos de cada região. É claro que para fazer uma viagem como esta você tem que ter necessariamente o espírito aventureiro, porque por mais que se faça um projeto, nunca se sabe o que vai acontecer. Sair de casa é inconseqüência, de modo bem exagerado. Então, para quem diz que aventura é falta de organização de planos, digo que aventura é você ousar realizar seus planos e ver no que vai dar. Ninguém quer que sua vida dê errado, mas como estamos ligados ao universo (nunca estamos sós), as coisas acontecem.

O fator idade chega quando existe maturidade, sem tirar a molecagem; é a responsabilidade. Vontade de aprender e ter legítima preocupação com desfrutar a vida. Chega na conscientização de que seu corpo tem limites, e de que você precisa de apoio financeiro. Tem que ter grana. Há a possibilidade de trabalhar durante a viagem, mas como estou falando de minha visão, torço para que você só caminhe e aprenda neste sabático, o que já é trabalho demais. Se a necessidade de grana chamar, tem de fazer algum trabalho, ainda mais que se está longe de casa.

Os limites do corpo muitas vezes são depreciados pelo próprio “inquilino”, provavelmente pelo ataque do pecado da preguiça. Convivemos com objetos que evitam que façamos o mínimo esforço e usemos facilitadores como o comando de boca, do dedo...Já está em estudo com macacos o uso da mente para criar comando. Pessoas com deficiências físicas mais sérias já tem equipamentos que atendem comandos desta forma. Calçadas que absorvem energia do caminhar de transeuntes fornecerão eletricidade às cidades. O futuro está próximo. Acho q ainda andarei em uma calçada dessas, mas terei que atravessar oceanos porque é bem possível que o Brasil só utilize uma tecnologia assim daqui quase século. Muito dinheiro gira com a burocracia e com as bugigangas. Quem aí tem energia solar em casa? Pois é. Eu tenho. Só faltam as benditas placas que levaram embora da minha casa. Hi!hi!

Caminhe mais, conheça seu bairro, cumprimente as pessoas que você vê todo dia. Tire sua TV e seu aparelho de som do stand by. Isto rejuvenesce a alma. Ao invés de ir à padaria de carro, vá andando. Vá ao banco ao invés de fazer transações pela internet. O contato com pessoas também rejuvenesce. Force-se a falar. Ajude a arrumar a casa, preparar comida. Mantenha seu corpo em movimento. Vá dançar. Vá a bailes da saudade. Tinha uma senhora de 60 anos dando a volta pelo Brasil de bicicleta. E ela fez isso porque sabia que era só ir. A onda da bicicleta pode mesmo pegar nas cidades grandes do Brasil. Só depende de você. Tudo depende de você. O mundo é feito de VOCÊS. Porque “penso, logo VOCÊ existe”.

Nada nos impede de nada na vida. Tem tanta gente que sabe disso automaticamente e deixa de contar o segredo...Eu achava que apenas dando o exemplo, fazendo minhas coisas as pessoas compreenderiam que era possível. Hoje, além de fazer, digo o que sinto e como faço. Tento fazê-los sentir pelo que passei. Por isso escrevi o livro de MOCHILÃO.

Uma pessoa de alma madura, caminhando pelo mundo, capta muita coisa interessante, útil e traz para seu cotidiano, conta para seus vizinhos, incita-os a mudar para a melhor, a se importar com o que realmente é importante. É uma visão mais crivada das coisas. Enxerga falhas e qualidades que poderia imitar.

O brasileiro precisa criar o hábito do “faça você mesmo” dos estadunidenses. Os EUA são um país de gente que se vira sozinha. Colocam combustível sozinhos, levam sacolas de casa para o supermercado, tem auto-atendimento pra todo lado, andam muito de taxi para evitar tráfego lento, vão direto ao assunto para ganhar tempo, estão sempre a procura de praticidade. É gente que se mexe quando quer fazer acontecer. Temos que copiar as coisas boas dos outros povos. Constatei isso por lá mesmo e em filmes, porque os Estados Unidos são uma grande Hollywood.

Depende da gente tudo isso mudar e, como já falei em algum post aqui, decisões devem acontecer na hora; a partir de segunda-feira, nem dieta! Idade não é importante se você sabe que sua alma pode mais e que seu corpo só precisa de exercício. Maturidade é tudo. Porque quem não sabe é o mesmo de quem não vê, e quem fica parado é quem vai ficar sem queijo.

Existe fator idade, sim. NA SUA CABEÇA!!!!!!! Cafudji tudo na sua cabeça....hihi

Vá lá na padaria e me traga um broa!
Brigád!

V for Verônica



27 de mar de 2009

Páscoa chegando....que tal ir para JERUSALÉM? ou NOVA JERUSALÉM!

Pode-se viajar de várias formas para Jerusalém, tipo, de avião, vendo um filme, lendo um livro ou ouvindo uma OPERA ROCK!

Um roteiro legal é Jerusalém e Cairo. Tô falando porque sei de gente que fez Israel e Egito em 20 dias e disse que foi muito bom e econômico. Visitaram a cidade murada e foram depois ver as pirâmides. Ói, que beleza! Se fizer um couchsurfing fica ainda melhor. Para quem gosta de datas comemorativas esta É A DATA! Quanto ao medo de bombardeios, saibam que a guerra é localizada. Então é se informar de onde está o perigo e evitar. Ou enfrentar, se vc conseguir. Por isso quando vamos viajar devemos estar sempre inteirados dos acontecimentos não só daquele lugar, mas do mundo. Sempre tem que ser assim. É se educar para ter conhecimento e se dar bem em qualquer situação. Nada de ir surfar com os rapazes em Gaza (que Allah seja misericordioso com todos por lá). Meu, eu li na Revista TRIP uma reportagem com alguns surfistas por lá. Eles têm até uma associação com uns 35 membros, dos quais apenas uma mulher (de 10 aninhos). Usam aquelas pranchas gigantes(longboards) e não tem "briga de território".
Mas na verdade este post é apenas um motivo para eu falar de JESUS CRISTO SUPERSTAR!

Estava comentando com um colega sobre meu preconceito quanto ao filme há muitos anos e meu arrependimento por ter evitado vê-lo por tanto tempo. Assisti, finalmente, JCS inteiro há 8 anos. O filme é de 73 e a obra, de 70. Sempre que passava eu achava que era alguma babaquice jazzada e entendiantemente cantada. Ah, que engano! Pô! Andrew Loyd Webber e Tim Rice já questionavam o comportamento de Judas antes do bafafa com o manuscrito do Evangelho segundo Judas (que é um a outra história)! Imaginem ver a performance teatral com Ian Gillan( Deep Purple) como Cristo? Meu.... E o Ted Neeley, o Cristo do filme? O cara tem uns 70 anos e continua dando agudos comoventes! Comprove no Youtube.
Esta foto é da performance feita por Ted no teatro em 2008! Emocinante! Chorei agorinha vendo o video. Em 72 houve algumas apresentações aqui no Brasil:
Direção: Altair Lima
Elenco: Eduardo Conde, Maria Cecília Camargo, Stênio Garcia e outros.
Estréia: Teatro Aquarius, atual Teatro Zácharo em São Paulo.
"Ópera Rock, versão moderna da vida de Cristo"

Teve uma Páscoa em que a KISS FM tocou a Opera toda, com Ian Gillan, acho que dois dias seguidos porque o povo pirou. Fiquei a noite acordada ouvindo. Foi maravilhoso.

Aqui, no Brasil, você pode ir à Pernambuco, em Brejo de Madre de Deus e se misturar aos mais de 10 mil fiéis peregrinos que vão acompanhar a Crucificação de um ator global no papel de Cristo. É uma cidade cenográfica (Fazenda Nova). Imagino que seja algo de chorar. Os atores que já interpretaram Cristo disseram que é realmente muito forte fazer este papel num "palco" tão original e com uma multidão crente e ciente de que apesar da teatralidade aquilo aconteceu. Olha, minha gente, é uma oportunidade de fazer um mochilão para uma região onde algo está acontecendo, um lugar com preços módicos, onde pode-se seguir para outros lugares depois. Mochilinha leve, pouca grana e muito protetor solar e AUTAN, q imagino que o que deve ter muito por lá é muriçoca.


E vamos na Di SIENA, aqui, em São Paulo, lá em Perdizes, experimentar ovo antes de comprar. Eles deixam um monte de ovo quebrado DE CHOCOLATE para o povo degustar enquanto escolhe seus produtos de consumo. Delicia!!!

Bem, hoje era isso. Vão assistir o filme que é muito, mas muito legal! Faz a gente pensar. Ou vão pra Pernanbuco ver a apresentação. Faz a gente "viajar". Mando beijo pra Juuuuuuuuuu, lá em Recife.

"When do we ride to Jerusalem???"
Ride logo porque a vida é curta!
V for Verônica

25 de mar de 2009

PARA ENXERGAR AO CAMINHAR - CAMINHO DO SOL

PARA SABER COMO ADQUIRIR MEU LIVRO DE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
__________________________________


O CAMINHO DO SOL é um dos diversos incentivadores para aspirantes a fazer trilhas, do estado de São Paulo.

São uns 250 km de percurso de Santana de Parnaíba até Águas de São Pedro, identificados com placas do Caminho do Sol ( porque você segue sem guia) e com estalagens para o repouso do peregrino.

O Caminho do Sol é um preparatório para quem for se aventurar por Santiago de Compostela (peregrinação), que é um caminho esperitualizado, energizado, onde pode-se ter inspirações, élans, insights de transformação, de evolução. Sou uma pessoa extremamente sensível a energias e diria que me senti racional e sensibilizada com o caminho. Estou falando do caminho mesmo; da paisagem, da trilha, dos lugares onde me hospedei em companhia de mais 4 peregrinos.

As pessoas serão sempre excepcionais em qualquer caminhar que se faça. Nesta trilha são atenciosas, curiosas, generosas e gentis com nossos corpos cansados. Respeitam o peregrino como uma divindade, alguém de certa forma iluminado e ousado. Muitas vezes se intimidam em falar conosco.
Caminhar produz endorfina, que nos deixa mais felizes. Somos pura química e andar é produtor de bom humor, resultando em SAÚDE. Se você está em busca de felicidade, caminhar é um dos meios. E se entrar em um projeto como este for um incentivo para você se mexer, é fazer sua inscrição e ir adiante. Você também pode fazer o percurso de BICICLETA. Inclusive, meu certificado do caminho é de ciclista, apesar de ter feito a caminhada de pés. Era para eu ter trocado, mas agora já foi. Faz de conta que fiz de bike. hihi
O percurso do Caminho do Sol passa por estradas, fazendas centenárias, plantações de uva, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações de cana, plantações.......O caminho abriu meus olhos para o CADÊ A MATA NATIVA DE SÃO PAULO??? Só tem pé de cana. E plantação de soja também!!! E criação de gado!!!

Fiz o Caminho há uns quatro anos e espero que os novos peregrinos tenham boas notícias para mim, como crescimento da mata nativa. A maioria das paisagens era cruel (canaviais intermináveis) e sol de fazer carne seca em uma única tarde. Uma visão deprimente do capitalismo desmedido. Da ganância.

Fazer uma peregrinação destas, para mim, foi além do pensar em como solucionar questões e problemas existenciais. Como minha amiga Isabella, que foi comigo neste caminho disse, "não resolvo problemas andando; enfrento-os logo". O que enxerguei foi o desmatamento, o mau uso do solo, a feiúra que o homem deixa na natureza quando coloca nela suas rudes mãos, dizendo que é pra sua sobrevivência. Estou falando de beleza, saúde, vida. Nada de aquecimento global. Ainda acredito que apesar do homem contribuir para este caso, o mundo está mudando porque seria assim mesmo. Um dia, os dinossauros; o outro, nós. Mas ainda vamos penar um bocado antes de desaparecermos porque segundo minha compreensão somos seres pensantes e sabemos que vamos nos dar mal e poderemos apenas retardar o fim. Ele virá e já é cruel.

Faça a Caminhada e enxergue além do que pode beneficiar apenas VOCÊ. Tenha a visão do todo e aja melhor com o mundo. Ah, este é um preparativo legal para mochilão. Concentração, visão de mundo, andar com mochila nas costas por horas....quem sabe você se inspira a ir para a Espanha e dali para outras partes do mundo?

Aproveito para mandar um olá para o "Seu SUAVE" que me ofereceu carona no meio do canavial quando minha botina estava arrebentando meu calcanhar e eu acabei cochilando em uma pedra, enquanto meus amigos peregrinos estavam loooonge que nem se via mais de tanta cana alta pelo caminho. Aos amigos que ficaram e com quem ainda me comunico de vez em quando por e-mail: Andréa(Cotia), Maria(Espanha) e o marido (Manauara), que, claro, esqueci o nome agora. Tatinha é amiga de infância, então não vale. Seu Egídio Mauro que pescou batendo no barco, lá em Piracicaba... Agradeço a gentileza de todos por terem permitido que entrássemos em seus lares e fizéssemos parte de seus caminhos.

Boas léguas pela frente e sempre contestando pela preservação um pouco mais prolongada deste mundo que ainda é nosso.

V for Verônica

Ah, tem outros caminhos pelo Brasil e pelo mundo, como o Caminho Real, Caminho das Missões, Caminho da Fé, Caminho de Fátima (Portugal), peregrinação para MECCA, na Arábia Saudita...

17 de mar de 2009

SHOW DA DAMA DE FERRO - IRON MAIDEN

Meu,

viajei no show do Iron! Não! Viajei mesmo! De Louvercity fui pra Santo André, de Santo André fui para a Aclimação, em São Paulo, fiz escala no shops Eldorado e assisti junto com minha irmã e Marco "Watchmen", que foi, digamos, fiel aos quadrinhos (o que mudaram não ficou mal), pegamos el tren español e, juntamo-nos a orda de roqueiros uniformizados e cantando diversos "riffs" de guitarra, além dos "ôs-ôs-ôs" com os quais acompanhamos diversas músicas durante o show.
Chegamos antes das sete só para darmos de ventas com uma fila para a entrada. Era uma procissão gigantesca de mais de 2 quilômetros que teríamos que enrabichar. Imaginem que tivemos que andar tanto para achar o final da bendita que já estávamos acreditando que não entrarámos antes das 22h00 no autódromo. A fila seguia por uma rua estreita onde só tinha casa no tijolo e barraco de kátcha(ça). Impressionante que o povo não tava mamando muito. Provavelmente porque "amanhã" era segunda-feira. Meu, é crueldade com o povo devoto da Dama e do trabalho, pela maioria certamente ser de paulistanos, botar um show poderoso destes pra a gente nem poder comemorar no final da madrugada. Quer dizer, a gente acaba comemorando porque, afinal, quem gosta de "Iron Maiden"* é gente que gosta de sofrer!

Para serem mais cruéis ainda, logo que conseguimos entrar no autódromo tínhamos que fazer uma "saudação quilométrica ao nada!" Pistas e mais pistas até conseguirmos ver o que já estávamos ouvindo há minutos! Tamparam o alambrando, vejam que poético, com folhas "feitas de ferro", torturando mais ainda a gente que não podia ver o que já estava rolando enquanto seguíamos para a pista. E era aquele bando de não arrebatados correndo desesperados e eu querendo correr com o Jurandir, mas minha irmã tava manca andando atrás com o Marco. Cacetada! Já era a 2ª música e ainda não tínhamos conseguido ver nem o público apesar de já estarmos dentro do autódromo. Ridículo.
Quando, finalmente, chegamos no lugar cômico que ficamos até o final, percebi que da vez que fiquei do lado de fora no show do Palmeiras em 2008, fiquei mais perto da banda do que estava agora. Eu só via umas coisinhas se mexendo no palco e, pra ajudar mais ainda, os telões estavam com defeito, cheios de falhas em pedaços da tela. Malditos!!!

Bruce, o vocalista, ainda desculpou-se com o público. Lamentou que o céu tivesse "mijado" nos fogos de artífício e, também, pelo atraso, mas sabiam que a maioria do público ainda estava do lado de fora e consideraram que deviam esperar. Certíssimo apesar de errados. Que organização do cacete foi essa? Nunca na minha vida de shows - e já fui em vários de grandes bandas - passei por uma coisa tão esquisita. E apenas pela absurda fila e uma pobreza de telão! Foi durinho.

Mas, agora, a torturada tem que dizer de seu prazer: _UTA SHOW! _UTA VIBE!

Meu, fiquei com medo da acústica do autódromo. Já tinham dito que não era boa e eu pensei que era bem absurdo uma banda como Iron aceitar tocar em um lugar onde ao som ficaria ruim. Esta perfeito! Os caras são excelentes músicos e gostam do que fazem. O decoração de palco, as trocas de roupa, Eddie....Tudo parece ser feito com tanto carinho e preocupação de colocarnos em uma outra dimensão que, na terceira música eu já tava apenas alucinada e olhando aquele trocinho correndo de um lado para outro do palco.
O público é a outra atração! Tinha um bando de chifrudos iluminados, os cabeludos que ADORO, aquele ar light de músicos indo ver um amigo tocar. As namoradinhas influenciáveis, algumas de botas de salto, uns meninos com os pais, todos devidamente trajados com a camiseta de seus super heróis preferidos: Iron Maiden. Vá, também tinha Rush, The Doors, Stratovarius, Manowar, Led Zeppelin, mas, realmente, a maioria era puro Iron.

Iron tem uma identidade muito forte no metal e Bruce, com sua voz afinada, lírica e personalizada, encanta-nos a adentrar na tortuosa dama. Meu, imagina voar com esses caras e entrar na cabine, bater de cara com Bruce pilotando? Meu, eu quero voar com o cara. Ele é contratado da Astraeus Airlines que fornece pilotos para vôos comerciais de companhias como a British Airways (aliás, a Astraeus é da British), sem contar com o Bruce Air que leva fãs ingleses a shows do Iron com QUEM PILOTANDO???
Bom, também já vi que o avião da banda, o Ed Force One tem réplicas em miniatura sendo comercializadas aqui: www.ironmaiden.com/shop/web/index.php
Olha, a gente fala que show é show. Pode ser de uma bomba de grupo, tipo...meu, nem vou falar -pense em alguma banda que você não goste - a vibe está é no ar.
A energia do público, a paixão o respeito e os sacrifícios feitos para ver "de perto" seus cantores preferidos. Todo aquele povo alucinado por música, por prazer, por um orgasmo acústico, onde todos piram juntos e pulam e headbangueiam e ficam depois a semana meio zumbis, cantando as músicas, lembrando dos momentos como sendo os melhores da suas vidas até o próximo show. Gente que vem de todo lugar do mundo pra gozar do que vale mais na vida: um gosto. É isto que vale, gente. A felicidade, plenitude, sentimento, realização. A quimica do corpo que faz a gente ser mais feliz. Música boa é um desses elementos fora da tabela periódica.

Sorte pra vocês e lembrem-se sempre:

MAIS VALE UM GOSTO! Mas tem que ser de BOM gosto! hihi


V for Verônica
A Dama de Ferro é um objeto de tortura medieval que consiste em uma espécie de caixote modelado com formas bizarras onde o pobre era colocado em pé e depois trancado. Mas o negócio não era ficar trancado; havia pregos estrategicamente localizados dentro deste negóco e eles furavam garganta, olhos, coração...era pro povo sofrer antes de morrer.

12 de mar de 2009

Agência de Turismo: Mochileiros serão seus maiores clientes

PARA SABER COMO ADQUIRIR MEU LIVRO DE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
__________________________________


.............Eu, na Ilha Innish Mor - Costa oeste da Irlanda..............

Pense num pacote turístico EUROPA E PRINCIPAIS CAPITAIS, 20 dias, com passagem aérea e estadia inclusa, guia em espanhol e traslado do aeroporto para o primeiro e último hotel, no valor de R$10000,00, parcelado em 10 vezes sem juros. As principais capitais seriam, Berna, Viena, Berlim, Amsterdam,Praga, Roma e Paris. Lembre-se que aqui você ainda tem que incluir alimentação e seguro-saúde, somando mais uns R$500,00, digamos.

Pense num viajante independente, fazendo as mesmas capitais, 20 dias, com tudo incluso. Daria uns R$6000,00. Ou menos.Compreende do que estou falando?

As agências de turismo precisam divulgar mais a possibilidade do viajante realizar sua jornada sozinho, porque saindo mais em conta, mais gente vai querer ir. Só que a agência precisa de VENDEDORES experientes no estilo independente, que dêem orientação e apresentem os PRODUTOS NECESSÁRIOS para a jornada do cliente.

Já falei em outro post sobre isso, mas enfatizo aqui que o MOCHILÃO é LUCRO PARA AS AGÊNCIAS, tanto em maior número de clientes como em venda de produto. A venda de produtos separados sai mais em conta e, sendo corretamente oferecida, torna-se quase um pacote, quando verificamos que muitas viagens requerem a aquisição de
PASSAGEM AÉREA,
BILHETE DE TREM,
BILHETE DE NAVIO,
ALGUEL DE CARRO,
SEGURO SAÚDE,
INGRESSOS PARA ATRAÇÕES QUE PODEM SER ADQUIRIDOS COM ANTECEDÊNCIA,
INDICAÇÃO DE ESTADIA EM ALBERGUES OU HOTÉIS QUE DÃO DESCONTOS AO CLIENTE E LUCRO PARA A AGÊNCIA.
Tantas coisas podem ser feitas para o viajante econômico e a agência ainda fica livre de reclamações sobre o serviço. O cliente simplesmente vai comprar os produtos que necessita e mais alguns que o VENDEDOR identificará com o necessários ou mais úteis e econômicos.
___@@_________
____@@___grafite em San Telmo, B.Aires - Argentina______
As agências têm que ganhar o cliente mochileiro mais pelos serviços extra do que pelos produtos em si. Descontos são sempre bem vindos (Agora é junto? Benvindos?), mas as dicas, as listas de endereços assistenciais, como centros de informações turísticas, consulados, casas de câmbio, lista de albergues ou hotéis que oferecem desconto se indicados pelo agenciador, um mapa turístico de um dos países ou cidade, são coisas que podem fazer sua agência ganhar uma venda que pode valer menos que um pacote de viagens, mas que em quantidade de público ganhará lascado. Mais barato, mais gente viajando, lucro maior para todos. Isto é muito claro, pelo menos para mim, que não entendo administração, mas sei que, como cliente, quero o mais em conta e o que me deixe mais livre.

Se o viajante tem muito medo de ir para lugares sozinho é só ajudá-lo a fazer um roteiro mais fechado. Pronto. Isso dá mais segurança. Determinar horários com janelas para o caso de se atrasar para pegar o transporte em algum lugar. Mostrar a ele que ficará livre, mas com restrições. Oferecer a ele opções de hotéis ao invés de albergues. Devemos sentir que tipo de viajante independente é este: um mochileiro ou um turista querendo se libertar? Só não perca a venda porque ele vai ter que comprar os produtos em algum lugar, então, que seja no seu negócio!
Para ter um vendedor qualificado é uma boa que ele já tenha passado por uma experiência como esta do mochilão. Aliás, quem mexe com viagem DEVE experimentar este estilo. Muita gente que trabalha em agência não tem idéia de como ajudar uma pessoa que quer viajar por conta própria porque desconhece o que há nos destinos. A curiosidade é pequena pelo hábito de viajar em tour, escolher um roteiro e ser guiado por alguém que sabe tudo por ele.
O vendedor deve ser um estudioso e saber tipos de transporte que existem nos lugares mais requisitados, se vai acontecer algum show no período em que o viajante quer ir, se há algum tipo de manifestação em que é recomendável evitar determinado destino, os albergues e hotéis mais em conta em em locais mais centrais para o mochileiro iniciante....tem que saber tudo. Nada melhor do que fazer uma vez e aprender! Pode ser pelo próprio país mesmo. Só pra ter idéia de pra onde atentamos quando fazemos coisas sozinhos.
Agora, pense num pacote turístico de 10 dias em Paris, a R$3000,00, com passagem aérea e estadia inclusa e parcelado em 6 vezes sem juros? Eu vou perder? Se tiver grana é claro que vou pegar o pacote!
Sou mochileira, não sou reta!
Mas o negócio mesmo é V-I-A-J-A-R e aprender muito a cada novo rumo.
........................
********V for Verônica
********Cidadã do Mundo

MOCHILÃO COM TEMA - AJUDA MUITO E INSTRUI!

Vocês viram que este blog tem um MOCHILÃO VIRTUAL PELA FRANÇA, onde ponho como estrutura de roteiro visitar locais referentes a II Guerra Mundial.
Pois é! Fazer um mochilão com tema é algo que ajuda você a organizar e traçar um roteiro interessante praticamente pronto porque ele está lá, já aconteceu, alguém ou a história do mundo, preparou o caminho para você. Isto também deixará você mais seguro porque você se identificará com o roteiro, se sentindo menos “perdido” no mundo. Falta apenas sua pesquisa. E é aí que o negócio fica mais gostoso.

A gente acha que sabe tudo sobre um determinado assunto, mas quando começa a pesquisar descobre que a ignorância é sem fim. Sempre tem mais pra se desvendar, aprender e, na maioria das vezes, pouco tempo para aproveitar a quantidade de coisas que descobrimos. Ainda mais que tudo está acontecendo ao mesmo tempo e sem parar. Mais um motivo para você embarcar nesta jornada e seguir pelo mundo o quanto antes.

Meu, você tem que estudar desde seus livros de escola até descobrir que o sapateiro é um turco que esteve na Guerra. Tem que procurar informação em todos os lugares. As pesquisas são alimento para a curiosidade por outras coisas também. Deste primeiro projeto você vai pegar gosto para planejar outros. É contagiante o conhecimento. Nosso cérebro foi feito para isto: desenvolver. Foi para isto que suas mães encheram vocês de deliciosas verduras quando eram crianças.
Roteiro gastronômico - pode ser específico. Pode ser o que você quiser!
Vida de alguém da história – Napoleão, Alexandre, o Grande, Carlos Magno, Átila, Jesus Cristo, Sidarta Gautama, Maomé, Marco Polo,
Países que falam português – GOA –India – Macao – China – Timor Leste – Angola – Africa – Galícia – Espanha – Portugal
Transiberiana
Religião
Expresso do oriente
Beatles, Led Zeppelin, The Who, Queen, Muse, Deep Purple, Iron Maiden, Def Leppard, Britney Spears(...), Michael Jackson, Madonna, Ravi Shankar....
Ruínas romanas
Domínio francês
Domínio Inglês
Volta ao mundo
Baseado em filmes
Montanhismo
Esportes radicais
Patrimonios da humanidade
Maravilhas do mundo
Caminho de Darwin
Povos indígenas do mundo
Passeio senhor dos Anéis – Existe!!!
Bibliotecas
Museus
Vida de algum artista
Meu, o que mais tem é opção de roteiro. Pense em um para sua vida. Algo que você goste. Nada de influência de TV, coisas do momento. Lembre-se de algo que te tocou um dia e que você deixou adormecer desespançosamente em você. É este o caminho! Daí é só seguir os passos dos primeiros posts do blog e vc estará encaminhado com certa segurança pelo mundo que existirá agora para você.
E, dúvidas, poste aqui, porque assim você me ensina e tira MINHAS DÚVIDAS!!!
V for Verônica linda

Começar a mochilar pela América do Sul. Por que, papi?

PARA SABER COMO ADQUIRIR MEU LIVRO DE VIAGEM ECONÔMICA - MOCHILÃO - CLIQUE AQUI
__________________________________

Trilha em El Chaltén - Argentina


Ah, sempre fui da política de mergulhar no totalmente desconhecido. É como sou e sei que a maioria das pessoas, principalmente brasileiras, veem de forma diferente, senão tinha muita gente mochilando como eu.

Minhas justificativas de ir inicialmente para longe, evitando nossos vizinhos latinos são:
-Quanto mais novos, mais longe devemos ir porque depois podem haver imprevistos na vida, tanto financeiros como de saúde e mudanças de humor;
- O diferente é que transforma a gente, então para quê que vou logo aqui do lado me aventurar pelo “estrangeiro”? São as diferenças que fazem com que ultrapassemos os limites que achávamos que tínhamos;
- Viajar pela América latina, logo em meu primeiro mochilão vai me fazer querer viajar mais por aqui porque é fácil, mais barato e é bonito também;
- Quem é diferente ensina mais para nós do que o semelhante. Óbvio! E nós vice-versa. Assim, o mundo globalizado acontecerá porque haverá troca de informações “in loco”!
Mas se você tem medo, o negócio é meter as caras por aqui mesmo porque tem muita coisa linda do ladinho da gente, muita cultura na construção, na culinária, na criação...

Relutei muito para ir para a Argentina porque sempre gastei mais indo para a Europa, ainda mais que sempre vou pra mais de 5 países, para aproveitar o pouco tempo que tenho, mas admito que valeu muito a pena conhecer nosso vizinho. Não estou falando de Buenos Aires (...). Falo do Sul, da Patagônia, na beleza natural, principalmente. Dos lugares onde você pouco vê brasileiros. Lugares que muita gente considera inatingíveis! Eu já havia ido para outros lugares, e somente por isso (e por falta de grana) pensei que valeria a pena me aventurar por aqui. E também com um convite da querida Luciana de Melo que queria aprender a mochilar. Conheço alguns lugares no Uruguai também porque tinha parentes que moravam lá em Sol y Mar, Canelones. Dali, conheci também Punta Del Este, Montevideo...é um país muito elegante e de pessoa com perfil (e aparência) bem diferente do nosso.

Se fazer o mochilão para América Latina for um chamariz para você REALMENTE querer fazer seu próximo mochilão para a Europa, meu, meus objetivos com o LIVRO e com este blog foram atingidos. É ter coragem, é descobrir que é possível, que é transformador e que este mundo tem pessoas maravilhosas que nos fazem ver um EU diferente. Mostram-nos como podemos ser ainda maiores do que já somos e de forma humilde. Pode crer!

Sou bem chata quanto a isso. Mas fazer o que? Sou um tipo de pessoa e você é outro. Apenas isso. Um dia um de nós aprende. Mas tem que ser logo porque a vida é curta e o tempo tá aí, correndo como louco na nossa frente. Tem que se começar por algum lugar, então comece logo! Nem pense muito porque pensar acarreta dúvidas, medos e muitos já pensaram por você e já fizeram o que você está prestes a fazer. Basta pegar seus equipos, fazer seu “Salam”, sinal da cruz, fechar seu corpo, rezar para suas crenças e mandar ver por aí.

Para quê se esconder do mundo? Deixar para poucos saberem a pessoa maravilhosa que VOCÊ também é e nem sabia...

Ah, mas o mundo, as pessoas, sua confiança, o caminho vão te mostrar.

Bon Voyage, mon grand petit!


V for Verônica

Mochilão com amigo(a), namorado(a) - O que é meu e o que é seu?

Vai viajar com amigo? Cada um está levando sua quota de comida, shampu, roupas, dinheiro?
Então vamos lá: O que é meu é meu. E o que é seu é seu! Salvo uma situação seríssima como um roubo, um não pode acabar com as provisões do outro. Senão será morte certa. Dos dois.

Saiba regular suas coisas, controlar seus desejos de gasto, de fome e de sujar roupas. FAÇA SEUS CÁLCULOS DE GASTO TODOS OS DIAS. Isto é regra. É pra manter o planejamento. Se algo está saindo dos custos é analisar e, se necessário, mudar os planos. Pense que você está acompanhado, mas o que você levou é o que você consumirá. Não mais que isso. Isto é aprender a administrar seus negócios e respeitar o que é do outro.

Já ouvi histórias e passei por algumas quanto a inconsciente uso do bem alheio. Sabe quando a gente é mais experiente, avisa antes o colega de viagem, orienta a levar tal coisa em certa quantidade? A pessoa acha que é bobagem, ou exagero. Só que na hora da viagem ela faz bom uso daquilo que não quis levar, consumindo do seu. Com o tempo elas aprendem, mas antes fazem um leve rombo no seu orçamento de viagem e aí você começa a jogar na cara delas o que está acontecendo.

Pois então, para não perder o amigo, é já dar um corte na primeira, ou melhor, antes de viajar já ter tudo bem claro e manter a palavra durante a jornada. Usou em excesso? Gastou em excesso? Dê seu jeito. Regule a grana nos dias seguintes, use seu cartão de crédito, tire mais dinheiro no Visa Travel Money, ligue pra alguém da família que possa te auxiliar, ou volte mais cedo para casa. Só não estrague o mochilão do seu amigo por sua falta de organização.

Mas e se você for para o meio do mato com seu amigo para fazerem uma trilha e lá está o cara sem suprimentos? Meu, isto não pode acontecer! É o risco dos dois terem ou uma desidratação, hipoglicemia, falta de remédio....Cada um tem que ter suas coisas e em quantidade suficiente para o período de viagem. Tá saindo com menos, melhor não sair. É risco de estragar a diversão, além da raiva de ter que ficar cuidando do “forgado”.

Use sua experiência de viagem para aprender a viver no limite, sabendo o real valor das coisas e porque não se deve exagerar ou desperdiçar nada na vida. Uma viagem assim, além de te mostrar que dá para viver com pouco, abre seus olhos para os desperdícios que praticamos no cotidiano, enquanto tem (mesmo) tanta gente necessitada pelo mundo.

Saibam que isto é aprender o que é egoísmo. O que é se aproveitar do outro por falta de pensar no outro. Sempre faça ao outro o que gostaria que ele fizesse por você. Isto é amadurecer. Nada de se aproveitar dele. Mesmo por falta de noção. E você que está sendo “abusado”, tolere e ensine porque nem todos têm a nata noção do que é solidariedade, gentileza e preocupação com o outro. Questão de tempo e exemplo.
Boas noites!
V for Verônica

2 de mar de 2009

ABRA SUAS ASAS E VOE PARA BEM LONGE

Vou contar uma estorinha parecida com a de muita gente:

"Samuel estava desanimando
Apenas assistindo ao show,
Uma vez após a outra.
Sabia que era hora de se decidir
E botar sua vida sem graça para trás.


Seu chefe lhe disse:
-Meu jovem, é bom você começar a tirar essas idéias loucas da sua cabeça!
Quem você está pensando que é?
Você devia estar varrendo o bar Esmeralda?


“Abra suas asas e voe para longe, para bem longe!
Abra suas pequenas asas e voe para bem, mas bem longe mesmo!
Componha-se porque você sabe que deveria fazer melhor.
E isto porque você é um ser LIVRE.”


Samuel passava as noites sozinho em seu quarto de hotel,
Concentrado em seus pensamentos.
Ele sabia que partiria logo.
Desejando estar milhas e milhas distante de tudo.
Nada no mundo o faria ficar.


Desde pequeno
Era azarado.
Nada veio fácil para ele
Mas ele sabia que era hora de se decidir:
-Esta pode ser minha última chance!


E o chefe dele lhe disse:
- Agora, escute, garoto: você está sempre sonhando!
Você não tem uma verdadeira ambição! Você não vai muito longe!
Samuel, meu filho, você não sabe quem você é?
Por que não pode ser feliz trabalhando no bar Esmeralda?


“Abra suas asas e voe para longe, para bem longe!
Abra suas pequenas asas e voe para bem, mas bem longe mesmo!
Componha-se porque você sabe que deveria fazer melhor.
E isto porque você é um ser LIVRE.”


Voe conosco!

Tradução literal de Spread your wings, do querido grupo QUEEN.


Meu, quanta gente vive assim mesmo, sem perspectiva, fazendo algo que lhe desagrada, seja varrer o chão, ou comandar um setor de uma empresa, o que for. Satisfação tem a ver com nosso íntimo, acima de status. É dentro da gente. E o risco da mudança é nosso. Tudo é risco, mas tem que ter a coragem, a ousadia de mudar e ver no que vai dar. Se como está é ruim, então tem que se fazer algo! REALIZAÇÃO nesta vida curta que temos aqui.

Dar uma mochilada, nas férias, então, é algo bem menos radical do que deixar um emprego (pelo menos para mim), mas pode ser muito mais impactante em sua vida, fazendo com que você queira mudar tudo. É algo realmente terapêutico. Pergunte a quem já fez um, neste estilo de ir além do usual, das capitais, das pré-reservas, dos cálculos excessivos de riscos.

Pergunte àquele que teve que dormir na rua por qualquer motivo, que pegou caronas, que dividiu seu almoço, que caminhou quilômetros tagarelando com um ex-estranho por uma estrada antes solitária, que errou seu caminho e foi ajudado, que dançou o ritmo mais exótico e trocou sua camiseta por um sarong. Isto é TUDO! Inesquecível e inconseqüente. A gente simplesmente vai com a onda e se sente em MOVIMENTO, seguindo ADIANTE, indo ALÉM DE NOSSAS EXPECTATIVAS.
Estamos falando de coisas que dão certo. Quem disse que elas dão errado também é o mais óbvio. É que pensar como Sêneca, neste caso, é desnecessário já que o negócio é conspirar para que tudo dê certo. Estar no mundo estranho e já com a sensação de preparo para o mal é perder a diversão. Viver na expectativa do risco. Tem que seguir meio cego para isto. Se algo der errado é partir para os cálculos rápidos, sejam eles financeiros, de roteiro, de dar um chega prá lá em alguém. É a hora de você ver do que é capaz e fazer o melhor por
si por sua sobrevivência da melhor forma.

Falei.

V for Verônica

Foto 1: Eu, nos Lençóis maranhenses, há uns 10 anos
Foto 2: Eu em Giant's Cause way, no Norte da Irlanda, há 8 anos