30 de mar de 2009

Existe o fator IDADE para fazer uma viagem dessas?

Existe o fator IDADE para fazer uma viagem dessas?

Tudo o que escrevo aqui é apenas opinião minha. Espero que ajude em suas decisões.
Ainda estou pra fazer uma viagem como esta, um estilo de viagem diferente do mochilão, do turismo em geral. Está mais para um caminho nômade, de alguém que pôde deixar durante um bom tempo seu cotidiano e as responsabilidades diárias, talvez com o apoio da família, talvez mandando todo mundo se catar, mas com a consciência de que em um ano (por exemplo) muita coisa pode acontecer, com quem viajou e com quem ficou.

Quando se diz que a idade está na cabeça, eu discordo. A idade está apenas no corpo, que vai se acabando. Se der um alzheimer, aí vai a cabeça também....Nossa alma tem espaço no tempo e ela pode ocupar grande parte do universo de acordo com nosso aproveitamento do tempo(papo de louco). Como estamos falando em viagem, a dica aqui é vagar pelo mundo e conhecer os vários estilos de vida, artes e culturas dos Adãos de cada região. É claro que para fazer uma viagem como esta você tem que ter necessariamente o espírito aventureiro, porque por mais que se faça um projeto, nunca se sabe o que vai acontecer. Sair de casa é inconseqüência, de modo bem exagerado. Então, para quem diz que aventura é falta de organização de planos, digo que aventura é você ousar realizar seus planos e ver no que vai dar. Ninguém quer que sua vida dê errado, mas como estamos ligados ao universo (nunca estamos sós), as coisas acontecem.

O fator idade chega quando existe maturidade, sem tirar a molecagem; é a responsabilidade. Vontade de aprender e ter legítima preocupação com desfrutar a vida. Chega na conscientização de que seu corpo tem limites, e de que você precisa de apoio financeiro. Tem que ter grana. Há a possibilidade de trabalhar durante a viagem, mas como estou falando de minha visão, torço para que você só caminhe e aprenda neste sabático, o que já é trabalho demais. Se a necessidade de grana chamar, tem de fazer algum trabalho, ainda mais que se está longe de casa.

Os limites do corpo muitas vezes são depreciados pelo próprio “inquilino”, provavelmente pelo ataque do pecado da preguiça. Convivemos com objetos que evitam que façamos o mínimo esforço e usemos facilitadores como o comando de boca, do dedo...Já está em estudo com macacos o uso da mente para criar comando. Pessoas com deficiências físicas mais sérias já tem equipamentos que atendem comandos desta forma. Calçadas que absorvem energia do caminhar de transeuntes fornecerão eletricidade às cidades. O futuro está próximo. Acho q ainda andarei em uma calçada dessas, mas terei que atravessar oceanos porque é bem possível que o Brasil só utilize uma tecnologia assim daqui quase século. Muito dinheiro gira com a burocracia e com as bugigangas. Quem aí tem energia solar em casa? Pois é. Eu tenho. Só faltam as benditas placas que levaram embora da minha casa. Hi!hi!

Caminhe mais, conheça seu bairro, cumprimente as pessoas que você vê todo dia. Tire sua TV e seu aparelho de som do stand by. Isto rejuvenesce a alma. Ao invés de ir à padaria de carro, vá andando. Vá ao banco ao invés de fazer transações pela internet. O contato com pessoas também rejuvenesce. Force-se a falar. Ajude a arrumar a casa, preparar comida. Mantenha seu corpo em movimento. Vá dançar. Vá a bailes da saudade. Tinha uma senhora de 60 anos dando a volta pelo Brasil de bicicleta. E ela fez isso porque sabia que era só ir. A onda da bicicleta pode mesmo pegar nas cidades grandes do Brasil. Só depende de você. Tudo depende de você. O mundo é feito de VOCÊS. Porque “penso, logo VOCÊ existe”.

Nada nos impede de nada na vida. Tem tanta gente que sabe disso automaticamente e deixa de contar o segredo...Eu achava que apenas dando o exemplo, fazendo minhas coisas as pessoas compreenderiam que era possível. Hoje, além de fazer, digo o que sinto e como faço. Tento fazê-los sentir pelo que passei. Por isso escrevi o livro de MOCHILÃO.

Uma pessoa de alma madura, caminhando pelo mundo, capta muita coisa interessante, útil e traz para seu cotidiano, conta para seus vizinhos, incita-os a mudar para a melhor, a se importar com o que realmente é importante. É uma visão mais crivada das coisas. Enxerga falhas e qualidades que poderia imitar.

O brasileiro precisa criar o hábito do “faça você mesmo” dos estadunidenses. Os EUA são um país de gente que se vira sozinha. Colocam combustível sozinhos, levam sacolas de casa para o supermercado, tem auto-atendimento pra todo lado, andam muito de taxi para evitar tráfego lento, vão direto ao assunto para ganhar tempo, estão sempre a procura de praticidade. É gente que se mexe quando quer fazer acontecer. Temos que copiar as coisas boas dos outros povos. Constatei isso por lá mesmo e em filmes, porque os Estados Unidos são uma grande Hollywood.

Depende da gente tudo isso mudar e, como já falei em algum post aqui, decisões devem acontecer na hora; a partir de segunda-feira, nem dieta! Idade não é importante se você sabe que sua alma pode mais e que seu corpo só precisa de exercício. Maturidade é tudo. Porque quem não sabe é o mesmo de quem não vê, e quem fica parado é quem vai ficar sem queijo.

Existe fator idade, sim. NA SUA CABEÇA!!!!!!! Cafudji tudo na sua cabeça....hihi

Vá lá na padaria e me traga um broa!
Brigád!

V for Verônica



Nenhum comentário:

Postar um comentário