5 de fev de 2012

Passe sua história adiante! Corra da chuva!


Silver Duck e Fabiana voltando para seus lares

depois de uma breve parada em Louvercity
com muitas histórias de mochilão pela nossa
"Maiúscula América"(Guevara, E. 1952)
Colegas viajantes e futuros viajantes,
saudações!

Silver Duck esteve aqui com Fabiana e contou muitas histórias de seu mochilão repentino com João Rocella pela Bolívia em 2010. Fiquei encantada com a história de beber muita vodka lá na sibéria para não congelar o xixi quando saísse(contada por um cidadão russo!!!). Quais serão as próximas mochiladas? E histórias?
Ontem fomos Mamorrr e eu almoçar na minha irmã. Fui, na verdade, jantar porque a criatura demorou até o sol quase se pôr pra por tb o almoço. Mas tava tudo muito gostoso. E não foi pq eu tava já morrendo de fome.
Tagarelamos até, comemos demais e falamos da vida. Aí, como agora deve ser muito comum, começamos a dividir dicas de videos do Youtube, e lá foi uma leva de videos de música, de shows, de coisas engraçadas e inusitadas. Vimos "CENAS DE FILMES QUE NÃO ESTAVAM NO SCRIPT". Fiquei tocada com uma frase que Mamorrr já falava que era muito marcante na vida dele. Nós não imaginávamos que a frase fosse algo saído de uma atuação profunda, do que o ator estava sentindo no calor da cena.
Fiquei pensando na vida, nas histórias que contamos uns para os outros, como eu, que conto tanto do meu prazer em mochilar, na ação natural de contar e recontar experiências nossas na inconsciente intenção de que possa servir de ensinamento, ou apenas seguir adiante, mantendo momentos nossos vivos na boca dos vivos. Porque vamos morrer!
É, gente, falo de morte pra que enxerguem o quanto antes a importância da vida e de realizar coisas. De sempre tentar, fazer, falhar e tentar de novo, acertar, mudar o rumo que está perdido, achar o caminho, aprender, orientar, ter experiências, ensinar os outros. VIVER. É tudo o que temos a fazer aqui. Se vc sente que vive bem, que tem coisas importantes a dividir, divida. Mantenha viva suas experiências, passe para os outros sua humilde sabedoria. Guardar conhecimento é tolice. Medo de concorrência não pode existir. Estamos todos correndo é para um fim; Nosso caminho é apenas nosso, mas podemos deixar outros participarem dele. Apenas o final é solitário. O saber, o vivenciar, o aprender precisa ser propagado. A memória pode e deve perdurar extraordinariamente.
Eu faço esta parte aqui, que é algo que considero demais para a vida: o mochilar, seguir desporvido de falsa segurança, experimentar o mundo, as pessoas, você mesmo. Testar sua capacidade e ver que você é muito mais do que um ser ordinário. Você tem força, conhecimento, sabedoria e VIDA.
"Eu vi coisas que vocês, humanos, nunca acreditariam.
Naves de ataque em chamas nas bordas de Orion.
Observei raios-C brilharem na escuridão dos ares dos Portões de Tannhäuser.
Todos estes momentos se perderão com o tempo,
como lágrimas na chuva.
Hora de morrer."
Fala final do replicante Roy (Rutger Hauer) em "Blade Runner - O Caçador de Andróides.

2 comentários:

  1. Belissimo post. Saiba que acompanho de perto cada texto que publica. Meu nome é Bruno, consumidor de dois livros seus comprados de uma só vez. Não havia respondido um email seu à época, mas aqui está. Grande figura !

    ResponderExcluir
  2. Farei,a partir da próxima semana, meu mochilão pelo norte da Argentina. Seu livro já foi lido e relido e me deu a coragem que precisava de encarar o mundo sozinho,afinal só depende de nós...

    Escrevo depois para contar e mandarei fotitas

    ResponderExcluir