28 de out de 2009

Quarentão viajandão de MOCHILÃO

Ah, tenho que falar sobre isso porque o digníssimo tem mais de 40.

Meu, conforme você vai ficando mais "experiente" - ah! Mais velho mesmo! - Suas prioridades e seu pique vão se modificando. Lembro do meu pai, há poucos anos, falando de como ele se sentia como um jovem de 27 anos por dentro, no espírito, mas por fora, o corpo pedia descanso. Ele tinha 72 anos quando disse isso. Ele é vivo, viu gente! Semana passada estava o casal lindo, lá na Bahia. Esses viajam mais de 4 vezes no ano para outro Estado. Estão vivendo bem, graças a Deus. Ficam na casa dos nossos parentes que estão semeados pelo Brasil.

Voltando ao assunto, estávamos com a Wen em casa. Ah, Wen é uma Taiwanesa "acima de 40" que Eber e eu conhecemos na Itália em 2006 e que está fazendo um sabático de 1 ano. Já se passaram 4 meses. Ela ficou hospedada lá em casa por 10 dias. A viagem de Wen consiste em visitar as Américas, conhecer a maioria dos países da Am. Latina, que ela não conhecia, e seguir lá de baixo para, possivelmente, mais uma vez a Austrália, que ela já conhece e, claro, mais um monte de lugares que eu não lembro.
Wen levantava tarde, procurava ver o que realmente havia de interessante para conhecer e seguia à risca as dicas do seu Lonely Planet. A criatura tinha que ir a um jogo de futebol no Maracanã. E foi. Perguntou para mim:
- Verônica, você realmente acha que eu vou me interessar pelo bairro da Liberdade? - Tive que ser sincera:
- Minha filha, gente que já viu muita coisa no mundo não vai se entusiasmar com um bairro japonês fora do Japão. Esquece.

Por favor, meus amigos, não se ofendam. É a pura verdade. Depois que você vê coisas excepcionais no mundo, tem coisas que não vão te impressionar mais. É melhor escolher bem. No caso de fazer uma viagem longa, vale visitar um lugar comom para poder ter tempo de relaxar, colocar coisas em ordem, parte burocrática, caso precise de visto para o destino a seguir(como foi o caso de Wen). Fazendo viagem curta, também é óbvio que devemos procurar coisas diferentes das que estamos habituados ou conhecemos.

Claro que fomos num pagodão, andei pela cidade com ela, entramos num shopping, tomamos cafés gostosos que ela a-d-o-r-o-u (é viciada em café), minha mãe fez feijoada para ela...bem, o que ela mais fez foi comer coisa diferentes e gostosas lá em casa. Ganhei duas garrafas cheias de Pisco de presente que ela trouxe do Peru para Eber e para mim. Como Eber só bebe suquinho....

Já falei para vocês que Wen está mochilando sozinha? Bem, então está dito.

Pois é assim. Um ritmo mais calmo, lugares mais específicos, momentos maiores de contemplação. ISTO NÃO VALE PARA A JUVENTUDE QUE SABE LÁ QUANDO VAI CONSEGUIR FAZER OUTRO MOCHILÃO, HEIN! É jovem, tem mais é que fazer maratona por diversos países.

O mochileiro mais velho vai usar a mesma equipagem do mais novo. Provavelmente com algum remédio para pressão (hahahah), um par de óculos extra, mas como mesmo pique, humor e espírito aventureiro.

Quando se está mais velho, numa viagem como esta, fica-se mais confiante e exigente, mais desinibido, mais desejoso de fazer coisas. É como um desafio ao nosso ânimo. Um último suspiro da juventude que descobrimos não ter acabado. Talvez estivesse apenas adormecida, esquecida em cima do gigante estômago de cerveja, dos jogos na TV, do trabalho que consome o dia, do cansaço que ele nos traz de noite. Tem família que envelhece só de virar família. De achar "que é assim mesmo". "Agora somos sérios, temos filhos e responsabilidades. Não temos mais idade para essas coisas de jovem." Meu, o dia que eu disser isso podem ver se eu não tomei detergente porque só estando com uma depressão muito feroz, ou sem perspectiva na vida pra EU pensar assim.

A gente faz piada dizendo que fulando tá velho e acabado, mas, como a Dona Maura, minha querida ex-chefe diz "eu tiro o pé e você põe". Enquanto a nanotecnologia está nanoengatinhando, a gente vai envelhecendo e morrendo em menos de 100 anos, meu queridos. Então, vamos tratar de enxergar a juventude nesses corpos barrigudos e nessas cabeças focadas nos campeonatos e receitas da Palmirinha e buscar o novo, mexer com o conhecimento, o cérebro. Vão estudar, fazer uma faculdade (pode ser construir uma também), procurar um trabalho e, por que não, MOCHILAR, se muitas vezes é isso que falta para sua vida ter/ser mais uma grande aventura?

Vão lá ler mais posts que informam como fazer isso e conversem comigo que eu sou toda jovem, mas eu ajudo.

After all, tomorrow is another day! E o blog chama

VIAJE QUE TE AJUDA!!!

Abraços cuidadosos aos senhores!


V for Verônica

Um comentário:

  1. Adoro fazer amizades duradoras, e parabéns a Wem que tá indo em frente, sucesso pra ela. Adoro suas fotos Verô, você é demais.

    Fica com Deus.

    ResponderExcluir